Pesquisar no site...

Ouça na Rádio Crea-Minas ou leia na íntegra

O Ministério Público de Minas Gerais está com credenciamento aberto para pré-qualificar pessoas físicas e jurídicas, não pertencentes aos quadros de servidores do MP, para atuar como peritos de várias áreas, além de tradutores, intérpretes e laboratórios especializados, conforme Resolução da Procuradoria-Geral de Justiça. Dentre os profissionais registrados no Sistema Confea/Crea, podem se cadastrar engenheiros civis e florestais, agrônomos e especialistas em avaliações e perícias. O valor dos honorários varia conforme as características de cada trabalho e a classificação de sua complexidade. 

Profissionais empresas interessados deverão encaminhar ao endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. o';document.getElementById('cloakc67785bd1af30ef3cdaab26949a84d78').innerHTML += ''+addy_textc67785bd1af30ef3cdaab26949a84d78+'<\/a>'; requerimento de credenciamento preenchido – que está disponível também no portal do MPMG,, “Acesso à informação, link Credenciamentos” – acompanhado de cópias digitalizadas dos documentos relacionados no Edital.  No ato da inscrição o profissional deverá informar a área de formação para a qual está pleiteando o credenciamento, bem como a indicação das comarcas nas quais prestará seus serviços.

A documentação apresentada e as informações registradas são de inteira responsabilidade do profissional interessado, que é garantidor de sua autenticidade e veracidade, sob as penas da lei. A Procuradoria-Geral de Justiça do Minas Gerais poderá promover diligências destinadas a esclarecer informações prestadas pelos profissionais. 

Os profissionais e as empresa serão selecionados e designados pela Central de Apoio Técnico do Ministério Públicoou pelo respectivo Centro de Apoio ou Coordenadoria. 

O período de inscrições começou no dia 25 de fevereiro, podendo ser pleiteado o cadastramento pelo interessado a qualquer tempo durante a vigência do credenciamento, que é de até 60 meses, nos termos da legislação.