Pesquisar...

Para facilitar o acesso às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e promover o aperfeiçoamento da qualidade das obras e serviços prestados à sociedade, o Crea-Minas formalizou, junto ao Confea, no dia 28 de junho de 2018, contrato com a ABNT. O acesso às normas já estava disponível desde abril de 2018, e continua aberto para funcionários e com desconto para profissionais em dia com o Sistema.

Com a parceria, o Crea-Minas tem acesso ao banco de dados da ABNTColeção, que contem 8.500 normas num total de 27 mil documentos e também às normas técnicas vigentes no acervo da Associação Mercosul de Normalização (AMN). “O acesso às normas da ABNT vai nos manter atualizados para entregar obras e serviços em conformidade com as melhores técnicas”, destacou o presidente do Crea-Minas, engenheiro civil Lucio Borges.

De acordo com o diretor-adjunto de Negócios da ABNT, Odilão Baptista Teixeira, apenas os funcionários dos Creas podem consultar o banco de dados da ABNTColeção. “O acesso dos funcionários ocorre por meio de logins específicos. Não há limite de usuários, mesmo que simultâneos. Já os profissionais do Sistema podem consultar as normas na sede dos Creas e nas inspetorias com o suporte dos funcionários”, ressaltou.

Benefícios e contrapartida

Entre os benefícios estão a visualização completa e impressão dos documentos, a disponibilidade de baixar os arquivos em PDF, a consulta aos relatórios dos acessos efetuados,além de descontos para a aquisição do material (50% para os profissionais em dia com os Creas e 60% para aqueles que, adicionalmente, são associados à Mútua). Haverá também descontos para os cursos ofertados pela ABNT. 

Uma das contrapartidas do Sistema Confea/Crea é a indicação de profissionais para integrar os Comitês Brasileiros e os Organismos de Normalização Setorial (ONS) da ABNT para elaboração de normas técnicas.  

Como se faz uma norma

O processo de elaboração de um documento técnico da ABNT é iniciado a partir de uma demanda que é analisada e, sendo viável, é levada ao Comitê Técnico correspondente para a inserção em seu Programa de Normalização Setorial (PNS). 


O assunto é discutido amplamente pelas Comissões de Estudo, com a participação aberta a qualquer interessado, independentemente de ser ou não associado à ABNT, até atingir consenso, gerando então um Projeto de Norma. Antes de ser homologado, o projeto é submetido à Consulta Nacional, que é aberta à participação de qualquer pessoa ou entidade. As sugestões recebidas nesta fase são analisadas e consolidadas no documento técnico final.