Pesquisar...

O presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Borges, realizou visita técnica à Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), principal exploradora da mina de ferro-nióbio de Araxá, no dia 07 de dezembro de 2018. Na oportunidade, Lucio Borges, gerentes e coordenadores da CBMM conversaram sobre fiscalização, valorização profissional, desenvolvimento sustentável e nióbio. “Como araxaense, sei da importância da CBMM para a engenharia e para o crescimento econômico da cidade e região, pois é referência na produção de nióbio, produto estratégico no atendimento à demanda mundial com a aplicação em diversos setores”, destacou. 

Além de valorizar o trabalho dos profissionais, a visita à CBMM fortalece o relacionamento entre o Crea-Minas e a empresa, segundo o inspetor-chefe de Araxá, engenheiro civil Helver Martins Gomes.  “A CBMM valoriza a engenharia e sabe que a engenharia contribui muito para seu desenvolvimento, através das pesquisas e da gestão de sua planta industrial”, afirmou o inspetor-chefe de Araxá, engenheiro civil Helver Martins Gomes. 

Além do presidente do Crea-Minas e do inspetor-chefe de Araxá, também visitaram a CBMM o diretor de Relações Institucionais do Conselho, engenheiro civil Pedrinho da Mata; o superintendente de Relações Institucionais, engenheiro civil Jean Marcus Ribeiro; o presidente da Associação de Engenheiros e Agrônomos da Região de Araxá (Area-Araxá), engenheiro civil Eduardo Guimarães; o membro do Conselho Diretor da Area-Araxá, engenheiro civil Élcio Barreto Borges; a gerente de Apoio aos Colégios, Maria Cristina da Silva; e o engenheiro civil e sanitarista Paulo Henrique dos Santos. 

CBMM 

A reserva de nióbio foi descoberta em Araxá pelo geólogo brasileiro Djalma Guimarães em 1953 e, dois anos depois, foi fundada a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) para explorá-lo.

Atualmente, a CBMM possui o maior complexo minero-industrial de nióbio do mundo. A empresa produz, anualmente, 70 mil toneladas da liga de ferro-nióbio. Esta produção a torna detentora de 75% do mercado mundial. Os principais setores em que o nióbio é usado são o automotivo, o aeroespacial e o ferroviário. Ele também é utilizado nos gasodutos, na indústria nuclear, nos produtos eletrônicos, dentre outros. 

gerentes CBMM

(Da esquerda para a direita) -  O coordenador de Projetos de Barragens, engenheiro civil Marcos Lemos; o gerente de Meio Ambiente, engenheiro eletricista Thiago Amaral; o coordenador de Obras, engenheiro civil Adriano Barreto; o presidente do Crea-Minas, engenheiro civil Lucio Borges; coordenador de Equipamentos Móveis, engenheiro mecânico Hugo Rosa; o gerente de Manutenção, engenheiro mecânico e eletricista Mac Kinley Cardoso.