Pesquisar no site...

Fortalecimento da Associação Novalimense de Engenheiros, Arquitetos e Técnicos (Aneat) foi o tema da reunião entre o presidente do Crea-Minas, engenheiro civil Lucio Borges; o novo presidente da entidade de classe, engenheiro civil Maurício do Carmo; e o inspetor-chefe de Nova Lima, engenheiro eletricista Marcelo Sant’Ana, no dia 20 de novembro de 2018, na sede do Conselho. 

Durante o encontro, Maurício do Carmo e o presidente Lucio Borges conversaram sobre fiscalização, parcerias e efetivação de registro da Associação junto ao Conselho. “Nosso foco é a regularização da Aneat e a valorização dos profissionais. Atualmente temos cerca de 70 associados. Estamos nos preparando para que possamos, em 2019, oferecer a eles cursos de capacitação. Também queremos implementar parcerias com os munícipios de Nova Lima, de Raposos e Rio Acima”, destaca o presidente da Aneat. 

Segundo Marcelo Sant’Ana, a Inspetoria de Nova Lima está auxiliando a Aneat na efetivação do registro no Crea-Minas, a fim de que a entidade possa firmar parceria com o Conselho eparticipar futuramente dos chamamentos públicos. “Estamos orientando a entidade sobre os trâmites a serem seguidos e documentação necessária para o registro. Nossa intenção é que ela desenvolva projetos de engenharia que contribuam com o desenvolvimento do município”, ressalta o inspetor-chefe. 

Registro 

Para se registrar no Crea, segundo a Resolução 1.070/2015, é necessário que a entidade de classe de profissionais encaminhe ao Conselho requerimento instruído com original ou cópia autenticada ou atestada por funcionário do Crea das atas da  reunião de fundação registrada em cartório, de eleição da atual diretoria registrada em cartório e o estatuto da entidade e alterações vigentes registrados em cartório. 

Entre outras exigências para o registro é necessário que a entidade de classe apresente comprovantes de efetivo funcionamento como personalidade jurídica mediante a prática de atividades relacionadas às profissões abrangidas pelo Sistema Confea/Crea, durante os últimos três anos imediatamente anteriores ao ano do requerimento, sendo exigida a comprovação de no mínimo três atividades por ano.

 

Saiba mais sobre a Resolução 1.070/2015