Pesquisar...

O 12º Simpósio Internacional de Ferrocimento e Compósitos Cimentícios Delgados: A Tecnologia na Escala Humana – Ferro12 foi realizado pela primeira vez na América do Sul, na sede do Crea-Minas, de 16 a 18 de julho de 2018. O evento internacional, organizado pelo Crea-Minas, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), reuniu especialistas dos Estados Unidos, Índia, Alemanha, Itália, México, Reino Unido, Cuba, Sérvia e Brasil. A programação do último dia contou com duas palestras magnas e sessão técnica com o tema Aplicação em obras de habitação, saneamento e lazer e outros usos que fomentaram o diálogo entre os participantes.

Palestras

A primeira palestra magna foi apresentada pelo professor doutor Hani Nassif, dos Estados Unidos. Intitulada Desempenho de ferrocimento reforçado com fibra (FRF) e fibra de concreto de auto cura reforçado com fibra (FR-SCC) no reparo de vigas danificadas. A palestra discutiu sobre o uso de ferrocimento reforçado com fibras para aumentar a resistência de pontes e prevenir rachaduras. Nassif apresentou seus estudos na introdução de fibras de sílica, cinza, microfibras e polipropileno nas misturas, demonstrando os resultados na resistência e ductilidade dos materiais. “As fibras ajudam a manter as pontes sem necessidade de reparos por pelo menos cinco anos. Com essa opção, pode-se fazer melhorias até que haja verbas para realizar reformas completas”, destacou.

Em seguida, o professor Paul Nedwell, da Universidade de Manchester, apresentou a palestra 30 anos do ferrocimento no Reino Unido. Ele mostrou a linha do tempo da utilização do ferrocimento na Europa e pontuou como os engenheiros ingleses usam o material. Com exemplos de construções arquitetônicas, o professor destacou os benefícios da utilização de pré-moldados para a economia. “Um dos usos do ferrocimento tem relação com a qualidade deste material. Quando usamos placas de ferrocimento reduzimos o peso das construções e geramos economia de material e no manuseio”, enfatizou.

Sessão técnica

Barragens e economia – Margarito Ortiz Guzmán apresentou a Construção de uma pequena barragem de concreto armado e ferrocimento na comunidade de Teotitlan Del Valle, Tlacolula, Oaxaca, México. O professor abordou as dificuldades de construir em zonas úmidas e a economia gerada pelo uso das placas de ferrocimento na construção de barragens e pontes. O trabalho realizado na cidade de Tlacolula, no sudoeste do México, demonstrou os métodos e resultados obtidos.

Pontes e estradas – O engenheiro civil Luiz Antônio Lobo de Abreu demonstrou o Uso de formas permanentes de ferrocimento para pontes em estradas locais. Apresentando as técnicas de uso do material em formas auto-sustentáveis e permanentes na execução de pontes e estradas adjacentes, o estudo avalia a viabilidade do uso de diversos métodos na construção e utilização de placas de ferrocimento.

Tratamento de água – Abordando as estações de tratamento de água construídas com o método do ferrocimento, o engenheiro civil Sávio Nunes Bonifácio apresentou o estudo Plantas de tratamento de água potável utilizando ferrocimento como material construtivo: aspectos de concepções hidráulicas. A pesquisa demonstrou os métodos utilizados em estações de tratamento de água da Companhia de Saneamento de Minas Gerais construídas em ferrocimento.

Viabilidade financeira – dando prosseguimento à apresentação anterior, o engenheiro civil Sávio Nunes Bonifácio apresentou um Estudo de viabilidade financeira sobre a construção de estações de tratamento de água com estrutura de ferrocimento e outros. Demonstrando que o uso de ferrocimento gera economia de 50 a 60% no custo total de plantas de tratamento de água para empresas de saneamento, Sávio ressaltou os benefícios de se optar por este material.

Resistência – O último trabalho discutiu a Resistência à tração de alta temperatura do carbono revestido e não revestido por TRC. Apresentado pelo engenheiro civil Dimas Alan Strauss Rambo, a sessão apresentou as investigações do efeito de temperaturas elevadas no comportamento mecânico de estruturas de concreto têxteis reforçadas com carbono submetidas a testes de tensão.

Confira as fotos