Pesquisar...

O 12º Simpósio Internacional de Ferrocimento e Compósitos Cimentícios Delgados: A Tecnologia na Escala Humana – Ferro12 está sendo realizado pela primeira vez na América do Sul, na sede do Crea-Minas, de 16 a 18 de julho de 2018. O evento internacional, organizado pelo Crea-Minas, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), reúne especialistas dos Estados Unidos, Índia, Alemanha, Itália, México, Reino Unido, Cuba, Sérvia e Brasil.   

Na tarde do primeiro dia, temas como resistência e aplicações do ferrocimento fomentaram as principais discussões dos palestrantes. A importância do uso do material e do seu conhecimento são fundamentais para a formação de futuros engenheiros. A durabilidade, resistência, facilidade de manuseio e o baixo custo fazem do Ferrocimento uma grande aposta para o futuro não só da engenharia, como também na conservação ambiental.

A primeira palestra magna do turno da tarde, Desempenho estrutural de lajes reforçadas de concreto, foi apresentada pelo engenheiro de estrutura Antonio Nanni, nascido na Itália e que atua na Universidade de Miami como professor coordenador do Departamento de Engenharia Civil, Arquitetura e Meio Ambiente. Antonio comentou sobre os benefícios do uso do ferrocimento – adaptável à base, resistente à água e que possui aço revestido. Durante a palestra, o engenheiro mostrou formas de preparo do material e como é feita a sua aplicação quando exposto ao meio ambiente. Também mostrou diversos testes de tensão e flexão do Ferrocimento em casos de recuperação pós terremoto. Além disso, comentou sobre as matrizes cimentícias – matriz à base de cal e o uso do sistema de malhas e fibras.

O engenheiro civil e diretor do Instituto de Pesquisas de Engenharia do Departamento Hidráulico de Maharashtra, na Índia, Rajendra Pawar, ministrou a segunda palestra, Ferrocimento - conceitos em projeto e técnicas construtivas aplicados à conservação da água para o setor público, fazendo uma contextualização sobre a formação da Sociedade de Ferrocimento na Índia e a importância do uso do material em áreas rurais. O engenheiro já trabalhou em várias funções como engenheiro executivo e engenheiro chefe em grandes projetos de irrigação. 

Rajendra deu exemplos de inúmeras situações de uso do ferrocimento em construções de barragens, tanques, caixas d'água, casas e na reestruturação de obras danificadas por terremotos. No setor público, o engenheiro afirma que o maior objetivo do uso do material é a possibilidade de uma plataforma comum para todas as construções, tendo em vista que o ferrocimento possui baixo custo, é resistente a água, oferece uma construção rápida e possibilita a construção de estruturas flutuantes.

 

Confira as fotos.