Pesquisar no site...

Regularização fundiária do bairro Citrolândia e estudos topográficos da região foram os assuntos debatidos na Inspetoria de Betim, no dia 04 de maio de 2018. Na reunião, que contou com a participação da fiscalização do Crea-Minas, os inspetores da cidade e representantes de uma empresa de topografia e elaboração de projetos, contratada pela prefeitura, foi discutida a regularização de uma área de aproximadamente 3,5 milhões de metros quadrados, originária do crescimento da Colônia Santa Isabel, com cerca de 3.100 imóveis.

Segundo o fiscal da Inspetoria de Betim, Paulo Santos, o projeto que era de cunho estadual foi repassado para prefeitura de Betim por decreto. A área do bairro Citrolândia, da Colônia Santa Isabel, do Alto Boa Vista e parte do bairro Monte Calvário, que antes pertenciam à Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), agora poderá ser doada, por meio da Lei 22.816/2017, ao município de Betim. “Este projeto é um marco para as famílias betinenses, pois mais de 2400 famílias terão pela primeira vez a documentação de suas residências”, destacou Paulo Santos.

Para regularizar a situação das residências, foram feitos levantamentos topográficos com GPS e Veículos Aéreos Não Tripulados (Vants). Os trabalhos realizados envolveram serviços de aerofotogrametria; georreferenciamento; levantamento das áreas dos imóveis, das vias e ruas; realização de entrevistas socioeconômicas e recolhimento de documentos dos moradores. “Tivemos o apoio dos fiscais e inspetores do Crea que foram ágeis nas emissões de certidões e Anotações de Responsabilidades Técnicas (A.R.Ts)”, ressaltou o diretor da empresa, Mário Aguiar.

Durante todo o processo de regularização, várias reuniões foram feitas com a comunidade, a prefeitura e a câmara municipal. De acordo com o inspetor-chefe de Betim, engenheiro eletricista Fúlvio Malagoli, a próxima etapa é aprovar a lei municipal que estabelecerá os critérios necessários para transferir a titularidade dos terrenos aos moradores. “Tenho participado de todas as audiências, dando o suporte técnico solicitado. A regularização vai reparar uma parte dos danos sociais causados aos portadores de hanseníase que eram retirados de suas casas e internados na Colônia Santa Izabel”, enfatizou Fúlvio Malagoli.

Também participaram da reunião, o gerente de Fiscalização, engenheiro mecânico Guilherme Rodrigues; o supervisor da Região Metropolitana, engenheiro eletricista Marcelo Ventura; o inspetor-secretário Luciano Damasceno; o inspetor-tesoureiro Álvaro Machado e o geógrafo Wellington Menez.