No dia 8 de janeiro de 2021, o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), engenheiro civil Joel Krüger, recebeu o presidente da Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (Confaeab), engenheiro agrônomo Kleber Santos, e o segundo tesoureiro, engenheiro agrônomo Arício Resende.

Na reunião, as lideranças pactuaram as ações emergenciais a serem realizadas em 2021. Entre as propostas, estão a participação da confederação em todos acordos de cooperação na área Agronômica, a tramitação de propostas de interesse da Agronomia que estão no Confea, a continuidade de campanhas de comunicação com foco na área, assim como o apoio ao XXXII Congresso Brasileiro de Agronomia (CBA), que está previsto para ser realizado de 19 a 21 de outubro, em Florianópolis (SC). 

O presidente da Confaeab destacou a importância desse trabalho conjunto com o Federal. "A Confaeab avalia como primordial parceria com o Conselho Profissional, visando à defesa do interesse público e à defesa das prerrogativas da profissão de engenheiro agrônomo. Daí que destacamos também a necessidade de aprimorar a fiscalização agronômica exercida pelo Sistema Confea/Crea", afirmou Kleber Santos.

Outro tema debatido foi a realização de audiência da Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap), do Confea, para tratar de questões da exorbitância de atribuições dos técnicos de nível médio. Em junho do ano passado, o Confea entrou com Ação Pública Civil contra o Conselho Federal dos Técnicos Agrícolas (CFTA), o qual emitiu a Resolução nº 20/2020, majorando o valor-limite para a elaboração e execução de projetos, como crédito rural e agroindustriais, por técnicos agrícolas. 

A participação da Confaeab no Conselho Nacional de Educação (CNE) e no Ministério da Educação foi outro ponto acordado e já iniciado com a participação na audiência com o ministro Milton Ribeiro, realizada no dia 7 de janeiro.  Na ocasião, Kleber ofereceu ao ministro colaboração no desenvolvimento de material didático referente ao agronegócio brasileiro. A proposta é inserir conteúdos sobre a realidade do setor no currículo da educação básica, como aqueles referentes aos avanços tecnológicos. "A Confaeab observa a importância de que inclusive as crianças conheçam a realidade e o valor da agricultura, enquanto essencial para produção de alimentos, energia, fibras, plantas medicinais e serviços ambientais, por meio de tecnologias sustentáveis", explicou o presidente da Confaeab durante a audiência no ministério. 


    

Fonte: Confea
Fernanda Pimentel/Equipe de Comunicação do Confea