Pesquisar no site...

Com um mandato que se iniciou em janeiro de 2020, os conselheiros federais por Minas Gerais, os engenheiros civis Gilson Queiroz e Ivo Silva de Oliveira Júnior, titular e suplente, têm se revezado no exercício da função. E mesmo com um ano atípico, em função da pandemia da covid-19, os trabalhos prosseguiram com as reuniões plenárias e de comissões realizadas de forma virtual.

Na Plenária do Crea-MG, realizada no dia 15 de outubro, Gilson apresentou um relatório detalhado de todas as atividades desenvolvidas por ele e por Ivo. "Participamos de todas as Plenárias e de reuniões do Colégio de Presidentes e das Coordenadorias Nacionais de Câmaras, além integrarmos as Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema (CCSS) e, como suplente, a Eleitoral Federal (CEF), além dos Grupos de Trabalho de Preços de Obras Públicas e, Engenharia de Custos e o de Ordem Econômica (GTOE) , este último, como coordenador. Nessas discussões, conseguimos aprovar o congelamento dos valores de anuidades e taxas para o ano de 2021, serão mantidos os mesmos valores de 2020", detalhou Gilson. 

Os conselheiros também estiveram presentes em algumas reuniões de câmara do Regional, participando de debates sobre legislação. "Além dos processos atribuídos para relato, oriundos de outros Estados, encaminhamos e discutimos processos e assuntos demandados a partir das câmaras especializadas, de Entidades, de profissionais e empresas de Minas Gerais", afirmou Gilson

Confira as principais discussões levadas ao Confea pelos representantes de Minas Gerais