O engenheiro civil Lucio Borges reassumiu a Presidência do Crea-MG na sexta-feira, dia 2 de outubro de 2020. Ele estava licenciado, desde 28 de fevereiro, para disputar a reeleição, no pleito que estava previsto para ocorrer em 3 de junho. Com dois adiamentos, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a votação ocorreu em 1º de outubro, quatro meses depois do previsto.

Apesar do afastamento ter durado mais do que o previsto, totalizando sete meses, os trabalhos no Conselho continuaram se desenvolvendo bem. Na avaliação de Lucio, o bom desempenho no período deve-se ao fato de o projeto de dotar o Conselho de mais transparência, com simplificação de procedimentos e aprimoramento dos processos, e mais diálogo, com o compartilhamento das decisões, além do apoio de todos envolvidos na gestão do Crea-MG. “Nosso projeto de gestão é compartilhado e o vice-presidente Edilio [Veloso] soube dar seguimento a ele com comprometimento e determinação”, elogia.

Nos próximos meses, para finalizar o primeiro mandato, Lucio destaca como uma das prioridades a implantação do novo sistema corporativo, o Sitac/Versão MG, que vai permitir mais agilidade, eficiência e segurança na prestação de serviços para os profissionais e sociedade. “A implantação do novo sistema é um de nossos principais compromissos, porque vai facilitar a vida do profissional e vai melhorar a forma como prestamos nossos serviços”, destaca.

Além disso, a retomada das blitze em todo o estado também está entre as prioridades. Por isso, na segunda-feira, dia 05 de outubro, Lucio conversou com o gerente de Fiscalização, engenheiro eletricista Nicolau Neder. “Retomar as blitze é fundamental. Desde que implantamos esse modelo, em 2018, temos um ótimo resultado, por isso, queremos fechar o ano com uma série de ações em todo o estado”, explica Lucio.

Reeleição - O processo eleitoral foi realizado em mais de 100 cidades de Minas Gerais e contou com a participação de mais de 6.000 profissionais. Com mais de 80% dos votos válidos, Lucio foi o mais votado para a presidência do Conselho. O resultado será homologado pelo Confea e o segundo mandato será de janeiro de 2021 a dezembro de 2023. “Estou ciente de que os desafios hoje são ainda maiores do que eram quando começamos. O mundo mudou e novas práticas nas relações humanas e profissionais entrarão na pauta. Nós temos que estar preparados para isso. A nossa meta é avançarmos ainda mais nos resultados obtidos até agora e em direção a um Conselho cada vez mais compartilhado, ampliando os espaços de diálogo e participação que já existem hoje”, ressalta Lucio Borges.

 

Lucio reunião do Sitac