Realizadas em 1º de outubro de 2020, as eleições do Sistema Confea/Crea e Mútua contaram com 160 urnas – 84 obrigatórias, instaladas em inspetorias e escritórios, e 76 facultativas solicitadas por entidades, empresas, órgãos públicos e instituições de ensino – o Conselho teve mesas eleitorais em 114 cidades. "As eleições em Minas ocorreram dentro da normalidade. Tivemos a participação dos profissionais em todo estado, mesmo considerando a situação de pandemia", afirmou o coordenador da CER-MG, engenheiro florestal João Paulo Sarmento.

A votação começou às 8h e terminou às 19h com todas as medidas protetivas recomendadas pelas autoridades sanitárias. Em todas as seções eleitorais o uso de máscara foi obrigatório e os mesários usaram também protetores faciais e luvas descartáveis. Todas as  mesas tinham álcool 70% para higienização das mãos e objetos, além de marcações no piso, indicando uma distância segura.

Os profissionais da engenharia, da agronomia e das geociências votaram para presidentes do Confea e do Crea-MG, diretores regionais administrativo e geral da Mútua-MG, e inspetores das comissões executivas locais. Os mandatos são de três anos, gestão 2021/2023, e os cargos honoríficos. 

O coordenador da CER-MG explicou que em função do tamanho do estado, o trabalho de apuração e totalização dos votos ainda não terminou. "Temos, até às 10h de hoje [2 de outubro], 56 urnas apuradas das 160, 35% com 2.806 votos. Até o final da tarde, teremos números mais precisos. Lembrando que ainda serão apurados pela CER os votos em separado que estão vindo do interior e o resultado final será homologado pelo Confea", finalizou João Paulo Sarmento.