Pesquisar no site...

A Expedição Logística 2020/21, que tem como objetivo analisar os portos do Brasil e sua relação direta e indireta com o desenvolvimento econômico e social do país, na geração de emprego, renda e divisas comerciais iniciou-se em agosto deste ano. A participação do Sistema Confea/Crea foi aprovada pelo Conselho de Comunicação e Marketing (CCM). O projeto é uma versão temática da Expedição Safra, que vai analisar como a logística impacta o agronegócio. Ele será dividido em fases. Na primeira etapa, que prossegue até outubro, será feito um diagnóstico da última década com análise de infraestrutura, tecnologia, economia, produção, exportação e privatização. 

Na segunda fase serão feitas análises e projeções para a próxima década. Na etapa seguinte, em que se espera que o isolamento social permita as viagens técnicas, no mês de novembro, a Expedição parte para pesquisa de campo, visitando os portos, hidrovias, ferrovias e rodovias. Em todas as fases do projeto, que contempla 13 portos em 14 estados, a base da Expedição Logística será no respectivo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea).  

Números atrelados aos portos

De acordo com a pesquisa realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), divulgada em novembro de 2019, o Brasil perde no transporte de grãos das rodovias até os portos 0,13% do arroz, 0,17% do trigo e 0,10% do milho que exporta. Empresários defendem que a integração entre modais logísticos além de uma necessidade tornou-se oportunidade para a retomada da economia. 

Segundo dados do Estatístico Aquaviário, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), nos primeiros quatro meses de 2020, o setor portuário nacional (portos públicos + terminais privados) movimentou 340.588.296 toneladas. O montante corresponde a um crescimento de 3,71% em comparação com o mesmo período de 2019.  Segundo o estudo, a expectativa para este ano é de um aumento na movimentação portuária total. “Apesar de um resultado negativo na cabotagem no curto prazo, tanto exportações quanto importações devem apresentar crescimento, principalmente puxadas pelo granel agrícola, com safra forte e aumento de demanda da China e pelo granel líquido, petróleo e derivados, que já apresentou aumento de 20% até abril e deve permanecer significativo ao longo do ano”, detalhou a Gerência de Estatística e Avaliação de Desempenho da Antaq. 

Leia também: Expedição Logística é apresentada a coordenadores de Agronomia dos Creas 

 

Fonte: Ascom Confea com informações da Conab e Antaq