Pesquisar no site...

Quebrar parede, trocar piso, ampliar espaços. As pequenas obras e reformas feitas em casas e apartamentos têm aquecido o mercado durante a pandemia. Ficar mais tempo na residência despertou em muitas pessoas o desejo de aumentar ou adaptar um ambiente. Com o empresário Breno Souza não foi diferente. Ele resolveu ampliar a sala de sua casa, no bairro Sagrada Família, em Belo Horizonte. “Moro em um apartamento de área privativa. Logo após o carnaval resolvi criar um espaço gourmet. Minha esposa, por ser engenheira civil e arquiteta, cuidou dos projetos”, afirmou.

As pequenas obras e reformas aumentaram a demanda por materiais de construção. Segundo pesquisa realizada com 600 lojistas nas cinco regiões brasileiras pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), de março a maio 42% dos varejistas entrevistados perceberam aumento nas vendas se comparado a igual período do ano passado.

Para reformar o apartamento onde mora, no bairro Santa Tereza, a artista gráfica Patrícia Lacerda Bernadini já gastou 18 mil reais em materiais de construção. Ela conta que quer integrar a sala e a cozinha. “Faz 10 anos que moro aqui e nunca fiz uma reforma. Como fico muito em casa me senti incomodada com o espaço confinado. Então contratei um engenheiro civil e a obra começou no final de agosto. Espero que esteja pronta no próximo mês”, disse.

Segundo o gerente de fiscalização do Crea-MG, engenheiro eletricista Nicolau Neder, para realizar uma reforma é indispensável um profissional habilitado. “Derrubar uma parede, mexer em uma estrutura pode causar sérios riscos para os moradores. Portanto, é necessário contratar um profissional para acompanhar a obra. Além de se responsabilizar tecnicamente e garantir a segurança. Ele poderá também ajudar o proprietário a evitar gastos desnecessários”, ressaltou. 

Serviço

- Consulte no site do Crea-MG os dados do profissional ou da empresa que você pretende contratar.

- Solicite uma cópia da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do engenheiro responsável.

O preenchimento e recolhimento da ART é obrigatório para qualquer serviço profissional, independente da existência de contrato. O documento formaliza o compromisso do profissional com a qualidade e entrega dos serviços prestados. Em casos de sinistros, identifica individualmente os responsáveis.