O título de tecnólogo em design de interiores ainda não existe na tabela do Confea, mas o registro desses profissionais no Conselho já é possível como tecnólogo em edificações com atribuições na área de formação. Uma das tecnólogas, que deu entrada no registro em Minas, foi Bárbara Pereira Campos Leal. Designer de interiores há 13 anos, espera que o Crea-MG absorva mais de uma centena de profissionais que fazem parte de um grupo em uma rede social, onde ela orienta e incentiva os colegas a se regularizarem. Com a profissão regulamentada desde 2016, faltava aos designers um conselho profissional que valorizasse seu trabalho. Sem registro, Bárbara se sentia limitada no exercício de sua profissão. "As reformas em condomínios, residenciais ou comerciais têm que passar pelo síndico e só podem ser realizadas com Anotação de Responsabilidade Técnica. Isso dá segurança para a sociedade e para o profissional", destaca a designer.

Segundo ela, os designers de interiores aprendem e são habilitados para fazer reformas internas como de banheiro, cozinha – que não necessitem de intervenção estrutural –, paginação de piso, paredes, indicação de pontos elétricos e hidráulicos, dentre outras. "Nossa profissão vai muito além de combinar cores e almofadas. Levamos vida aos lares e aos locais de trabalho. Dando conforto ergométrico, acolhimento e valorizando o espaço e o imóvel com beleza, funcionalidade e personalizando o ambiente de acordo com as necessidades de cada um. E, agora podemos fazer a ART", completa Bárbara.

Desde junho de 2019, o Crea-MG registra os tecnólogos em design de interiores. Inicialmente, apenas os egressos da Universidade de Uberaba (Uniube) podiam requerer o registro, pois o curso já estava cadastrado no Regional mineiro. No entanto, agora, os tecnólogos em design de interiores dos 41 cursos existentes em Minas Gerais já podem fazer a solicitação. "Para não prejudicar os egressos de outras instituições, o Crea-MG está recebendo as solicitações dos profissionais acompanhadas de toda a documentação necessária. Então, fazemos o contato com a escola e auxiliamos no cadastro do curso", explica a diretora Técnica e de Fiscalização, engenheira civil Davina Braga.

A inclusão na tabela de títulos do Sistema Confea/Crea do tecnólogo em design de interiores, na modalidade de Engenharia Civil já está em andamento. "Até o final do ano o título deve constar da tabela. Mas, apenas os tecnólogos poderão ingressar no Sistema, pois os bacharéis em design de interiores não se enquadram na Engenharia, Agronomia e Geociências, profissões regulamentadas pelo Sistema. A medida contempla a maioria, já que no Brasil são 578 cursos de tecnólogo e apenas nove bacharelados, sendo dois deles em Minas", acrescenta Davina.