Pesquisar no site...

Estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgações técnicas são algumas das atribuições de engenheiros previstas na Lei 5.194/1966 que regulamenta a profissão. Dentro desse escopo, engenheiros sempre realizaram vistorias em imóveis financiados pela Caixa Econômica Federal (CEF), verificando se as condições físicas do bem estavam de acordo com as normas de segurança, evitando transtornos para o comprador e agente financeiro.

No entanto, o Crea-MG recebeu da Associação Brasileira de Avaliação e Perícia (Abap) denúncia de que a vistoria prévia não seria mais obrigatória para imóveis financiados pela Caixa. Posição também vista com preocupação pela Associação Nacional de Engenheiros e Arquitetos da Caixa Econômica Federal (Aneac) que entende que tal medida põe maior foco no objeto da garantia que no risco do cliente, já que o valor do imóvel, segundo a Resolução 4.754/2019 do Banco Central, pode ser fixado sem vistoria técnica.

Segundo o vice-presidente no exercício do Crea-MG, engenheiro mecânico Edilio Veloso, o Conselho encaminhou ofício solicitando esclarecimentos à Caixa a respeito da nova orientação. "Precisamos saber quais medidas estão sendo tomadas para substituir a vistoria prévia dos imóveis financiados que atende à NBR 14.653 da ABNT. A vistoria é uma segurança para o proprietário e também para a instituição financeira", destacou Edilio. Além disso, o Regional acionou o Confea para que fossem tomadas providências em nível nacional.