Como reduzir 50% do prazo e 20% do custo das edificações? Uma das alternativas é a construção modular, segundo o engenheiro civil Paulo Sérgio de Oliveira, professor do Instituto de Pesquisas Tecnológicos do Estado de São Paulo (IPT) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O tema foi discutido em um evento promovido pela Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Região de Alfenas (Asseara) e transmitido pelo youtube, no dia 06 de junho de 2020.

Paulo Sérgio explicou que estas construções são feitas a partir de módulos, conhecidos também como caixas, previamente. Ele destacou que na construção modular as atividades são planejadas, integradas e controladas, obedecendo a uma logística mais precisa para a disponibilização dos materiais. “Neste tipo de construção, há uma produção fortemente concentrada off-site, ou seja nas atividades dentro de um ambiente industrial, com processos industrializados, com controle da qualidade e pouca coisa feita on-site, no canteiro de obra, onde se tem os grandes desperdícios de tempo por condições climáticas adversas e por um grande contingente de mão de obra que é preciso administrar”, destacou.

Para o presidente da Asseara, engenheiro civil Eduardo Ribeiro, a construção modular, que tem sido alternativa frente às atuais demandas do mercado, desperta a atenção de muitas pessoas. “Tivemos 383 inscrições. O tema é bastante atraente, principalmente nessa época da pandemia em que a urgência de uma obra, como por exemplo, um hospital de campanha, é de extrema necessidade. E esse tipo de construção reduz bastante o prazo de entrega e também o custo da obra”, ressaltou.

A estudante de engenharia civil Erica Pacheco, que também participou do evento, afirmou que conheceu diversas vantagens no método construtivo. “Eu aprendi como planejar a obra antes de iniciá-la, a evitar desperdícios de tempo, dinheiro, retrabalho e como funciona na prática. Para mim agregou muito valor e muito conhecimento”, frisou.

Parceria

O evento contou com a parceria das Associações dos Engenheiros de Araguari (AEA), de Uberlândia (Asseng), do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (Assender), do Clube de Engenharia de Divinópolis (CED) e de Juiz de Fora (CEJF), do Senge-MG Diretoria Regional da Zona da Mata, da Associação Feminina de Engenharia, Agronomia e Geociências (Afeag-MG) e dos Institutos de Engenharia e Arquitetura do Triângulo Mineiro (IEATM) e Metropolitano de Engenharia e Tecnologia de Minas Gerais (Imet).  

Assista ao evento técnico

 

Construçao Modular Eng Paulo Sergio

Fotos: Alexandre Carvalho e Eduardo Ribeiro