Pesquisar no site...

O Crea-MG tem acompanhado as manifestações, em relação ao seu Concurso Público 2019, questionando a lisura do processo e pedindo a nulidade do certame. Em atendimento às demandas, o Crea-MG solicitou esclarecimentos à banca organizadora do processo seletivo, Instituto Universal de Desenvolvimento Social (IUDS).

Analisadas as respostas, constatou-se que os questionamentos não encontram amparo legal por falta, absoluta, de provas. Por isso, o Crea-MG mantém a validade do concurso, cujas fases vêm sendo cumpridas de acordo com o cronograma previsto no edital. 

Cabe esclarecer que os reclamantes, que vêm entrando em contato com o Conselho, por e-mail, por telefone e pelas mídias sociais, não solicitaram registro em ata das irregularidades que alegam ter ocorrido. E que, as reclamações registradas em ata culminaram na eliminação de três candidatos - dois por porte de celular e um por tentativa de usar calculadora – o que comprova a fiscalização por parte da banca durante o processo seletivo.

Além de os procedimentos previstos no edital terem sido cumpridos, esclarecemos que a banca organizadora do Concurso Público 2019 foi contratada em observância à Lei de Licitações – 8.666/1993 –, conforme Pregão Eletrônico n.º 009-A/2019, cuja documentação está disponível no Portal da Transparência do Crea-MG. Todos os requisitos do termo de referência foram atendidos.

Contudo, em respeito aos candidatos e para confirmar a lisura e transparência do processo, o Crea-MG disponibiliza os questionamentos apresentados pelos candidatos e o inteiro teor das respostas encaminhadas pela IUDS. Consulte aqui o documento enviado pela banca.

Dessa forma, e por estar seguro de que o Concurso Público 2019 foi realizado de acordo com o edital publicado e obedecendo os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência que norteiam a administração pública, o Crea-MG reafirma a manutenção do referido concurso, seguindo o cronograma previsto em edital até a homologação do resultado final.