Pesquisar no site...

Na reunião plenária extraordinária do Crea-MG, do dia 26 de setembro de 2019, foi realizada reformulação orçamentária para atender o novo quadro financeiro e contemplar demandas de projetos estratégicos do Conselho.

O aumento de 15,92% na receita executada representou aproximadamente R$ 10 milhões a mais em relação ao valor orçado. O acréscimo é resultado das ações de fiscalização e da campanha de recuperação de créditos Regularize, além do aumento do número de profissionais registrados e do registro de ARTs.

Por outro lado, com uma administração austera, o Conselho apresentou uma redução de 16,95% de despesas executadas, o que representa cerca de R$ 7 milhões a menos do que o orçado.

Com a reformulação orçamentária, foi realizada a adequação das contas, em conformidade com o regramento contábil, igualando o valor da receita com a despesa. A previsão orçamentária passou de R$ 91 milhões para R$ 99 milhões, resultando em um aumento de 9,27%.

As verbas foram alocadas, dentre outras ações, para melhoria da estrutura das inspetorias, ampliação da divulgação institucional e ações de modernização administrativa. Uma das principais demandas é a aquisição de equipamentos e software necessários para o projeto Ponte Digital, que prevê a adoção da plataforma Sitac. A solução, já adotada em outros 14 Creas, vai substituir os atuais 17 sistemas utilizados pelo Crea-MG, gerando mais credibilidade, precisão e segurança a todos, interna e externamente.

Apesar do aumento do orçamento do Conselho, a aplicação das receitas está condicionada ao andamento dos projetos e à análise dos resultados de cada ação. Assim, os dispêndios poderão ou não ser executados. “Procuramos ter um controle efetivo das contas para garantir recursos, a fim de cumprir todos os compromissos que assumimos”, explicou o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges.