Pesquisar no site...

Os presidentes dos Creas da região Sudeste, engenheiro civil Lucio Borges, de MG; engenheiro de telecomunicações Vinícius Marchese Marinelli, de SP; engenheiro eletricista Luiz Antônio Cosenza, do RJ e engenheira civil Lúcia Helena Vilarinho Ramos, do ES, reuniram-se em São Paulo, no dia 19 de julho de 2019, a fim de tratar assuntos estratégicos para o Sistema, como fiscalização e a Proposta de Emenda à Constituição 108/2019.

A preocupação com a PEC 108, apresentada, em maio, pelo ministro da Economia Paulo Guedes, deve-se ao fato da proposta acabar com a obrigatoriedade da inscrição dos profissionais nos conselhos e transformar a natureza jurídica deles. Isto é, deixam de ser públicos para se tornarem privados, o que inviabiliza uma de suas principais atividades finalísticas, que é a fiscalização.

Segundo o presidente Lucio Borges, os conselhos são fundamentais, pois sem fiscalização o mercado fica aberto para pessoas não habilitadas prestarem serviços especializados, colocando em risco a sustentabilidade no uso dos recursos naturais e na preservação da vida. “Somos um órgão fiscalizador e temos a responsabilidade de cumprir o nosso papel atendendo a exigências legais e, sobretudo, a segurança da vida das pessoas. Não podemos retroceder décadas, quando a figura do prático, que não tinha formação e aprendia fazendo, era comum no atendimento à população. É preciso que a importância dos conselhos profissionais seja reconhecida”, destacou. 

Outro assunto abordado na reunião foi o Congresso Nacional dos Profissionais (CNP), que será realizado entre os dias 19 e 21 de setembro, em Palmas, no Tocantins, após a 76ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea). O tema central do CNP desta 10ª edição é “Estratégias da Engenharia e da Agronomia para o Desenvolvimento Nacional”.  Além dos presidentes, também participou da reunião o assessor da Presidência do Crea-MG,  engenheiro metalurgista Elder Gomes dos Reis.