Pesquisar no site...

Coordenador do Colégio de Presidentes, Antônio Aragão;  vice-presidente do Confea, Edson Delgado, e presidente  do Crea-MG, anfitrião do Workshop sobre Barragens:  parceria em nome da segurança da sociedade

Coordenador do Colégio de Presidentes, Antônio Aragão; 
vice-presidente do Confea, Edson Delgado, e presidente 
do Crea-MG, anfitrião do Workshop sobre Barragens: 
parceria em nome da segurança da sociedade

 

Nos dias 29 e 30 de abril, o Crea-MG sediou o Workshop sobre Barragens, em Belo Horizonte. No mês em que a tragédia de Brumadinho completa 3 meses, especialistas e profissionais discutiram o tema durante dois dias na capital mineira.

Vice-Presidente do Confea, Edson Delgado

Vice-Presidente do Confea, Edson Delgado

O vice-presidente do Confea, engenheiro eletricista Edson Delgado, manifestou otimismo em relação ao que foi debatido no evento. “Temos certeza de que os resultados do Workshop serão de grande valia para os profissionais no que se refere ao aperfeiçoamento de seus conhecimentos e ao aperfeiçoamento de normativos voltados para segurança de barragens, além de sinalizar a necessidade de políticas governamentais voltadas para a exploração de minérios no país com plena segurança”, disse Delgado, que representa o presidente Joel Krüger.

Anfitrião do evento, presidente do Crea-MG, Lucio Borges

Anfitrião do evento, presidente do Crea-MG, Lucio Borges

Para o anfitrião engenheiro civil Lucio Borges,  o Workshop sobre Barragens foi muito importante para esclarecer os papéis e a importância da profissão na cadeia produtiva da mineração.  “Além da unicidade do Sistema, que ficou clara nesse evento, ao mobilizar Confea e vários Creas para esse debate, também evidenciou-se a necessidade de uma atuação mais firme do Sistema Confea/ Crea nos conselhos de políticas públicas. A necessidade de se reconhecer a profissão como carreira de Estado é cada vez mais essencial para o próprio Estado e para a sociedade”, defendeu Lucio.

 

Coordenador do Colégio de Presidentes, Antonio Aragão

Coordenador do Colégio de Presidentes, Antonio Aragão

Como  coordenador do Colégio de Presidentes e presidente do Crea Paraíba, engenheiro civil Antônio Carlos de Aragão,  destacou a importância social e profissional do evento. “A engenharia mal executada, ou quando ela não existe, mata. E temos aqui em Minas Gerais dois exemplos marcantes disso, o que aumenta a responsabilidade social do engenheiro ao assinar um projeto“, alertou Aragão.

 

Presidente do Crea-SP, Vinicius Marchese

Presidente do Crea-SP, Vinicius Marchese

Já o presidente do Crea São Paulo,  engenheiro eletricista Vinicius Marchese, parabenizou a iniciativa. “É  isso que os profissionais e a sociedade esperam da gente. Iniciativa como essas auxiliam os órgãos de fiscalização,  governos de Estado. Difundir esse conhecimento, transformar problema em soluções faz parte das obrigações do Sistema”, analisou Marchese.

 

Presidente do Crea-BA, Luis  Campos

Presidente do Crea-BA, Luis Campos

Ainda durante o evento, o presidente do Crea Bahia, engenheiro civil Luís Edmundo Prado de Campos, comparou o procedimento adotado em outras áreas. “Na engenharia aeronáutica toda vez que acontece um problema no avião, se avalia o que houve para checar se os protocolos estão corretos. É uma forma de aprendizagem e é essa oportunidade que estamos tendo aqui no Workshop”, disse o engenheiro.

 

Presidente do Crea-MT, João Pedro Valente

Presidente do Crea-MT, João Pedro Valente

O presidente do Crea Mato Grosso, engenheiro agrícola João Pedro Valente, defendeu a revisão de todo o processo. “Temos problema na formação básica, na inserção do profissional,  no mercado de trabalho, que é inserido de forma solitária, pois não tem quem faça o repasse de conhecimento, um mentor, devido ao desaparelhamento dos quadros técnicos". Valente ainda falou do pregão eletrônico: "Essa definição das atividades  em função de preço tem baixado a qualidade, consequentemente refletido no profissional, no material utilizado, na pesquisa básica, enfim, temos de repensar toda essa cadeia”, defendeu o presidente do Crea-MT.

 

Presidente Crea-AP, Edson Kuwahara

Presidente Crea-AP, Edson Kuwahara

Durante o evento, o presidente do Crea Amapá, engenheiro civil Edson Kuwahara, destacou a importância deste debate de importância nacional. “O Ministério Público solicitou ao Confea, que por meio dos Creas, disponibilizassem a relação de barragens por estado, ART de projeto, monitoramento, execução. No Amapá temos poucas barragens, mas já mapeamos e informamos ao Federal”, informou. Assim como todos os presidentes, Kuwahara elogiou a iniciativa do Confea e do Crea Minas em realizar esse evento envolvendo todos os profissionais em torno do tema barragens.

 

Leia mais:

Ministério de Minas e Energia propõe a criação de um comitê de barragens

"Sem mineração não há sociedade moderna", defende especialista

 

Confira as fotos no Facebook do Confea

 

Fonte: Ascom Confea