Pesquisar no site...

O Colégio Estadual de Instituições de Ensino (CIE) do Crea-MG realizou, no dia 26 de abril, reunião ordinária para definir o plano de trabalho de 2019. Aproximadamente 20 membros do CIE participaram do encontro que ocorreu na sede do Conselho.

Na abertura, o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, destacou que o Conselho, através do CIE-MG, tem feito importante interlocução com as instituições de ensino (IEs) do estado. “Queremos que nossos profissionais que estão dentro das universidades sejam valorizados e, para isso, estamos trabalhando muito, reunindo com reitores, coordenadores de cursos e professores”, ressaltou.

O diretor de Relações Institucionais do Crea-MG, engenheiro civil Pedrinho da Mata, acrescentou que o Conselho intensificou ainda mais a relação com as IEs. “Desde o ano passado, estivemos em várias universidades ministrando palestras sobre o Sistema Confea/Crea. Nosso objetivo é aproximar mais dos estudantes, que são os futuros profissionais, e esse Colégio tem um valor enorme neste processo”, enfatizou.

Para o coordenador do CIE-MG, engenheiro civil Rondinelly Pereira, o objetivo é que o CIE realize um trabalho integrado com as IEs, buscando a valorização dos profissionais. “Minha expectativa é muito positiva para o trabalho no CIE-MG. A valorização do profissional está ligada ao reconhecimento do docente e dos alunos. Por isso, quanto mais cedo esses estudantes tiverem contato com o Conselho, melhor será para eles entenderam como funciona sua estrutura”, afirmou.   

Na sequência, a coordenadora da Comissão Permanente de Educação (Cped) do Crea-MG, engenheira civil Davina Braga, explicou aos membros do CIE o funcionamento da Cped e o trabalho que vem desenvolvendo nas instituições de ensino (IEs). “Temos feito palestras em universidades explicando a necessidade delas serem registradas ao Crea. Explicamos às IEs que, conforme legislação do Confea, analisamos os conteúdos das disciplinas, que estão diretamente ligados às atribuições que são concedidas aos egressos. Esta tramitação no Crea leva, em média, de 3 a 6 meses, pois são muitos processos a serem trabalhados”, destacou.

Ainda no período da manhã, foram feitas apresentações das Câmaras Especializadas do Crea-MG. Os coordenadores explicaram como são constituídas as Câmaras, os procedimentos para registro de curso e concessão de atribuições. Na oportunidade, os membros do Colégio também conheceram mais o código de ética do Sistema Confea/Crea e os fluxos de atendimento às demandas de processos éticos.  

À tarde, foram formados quatro grupos que apresentaram propostas para elaboração do plano de trabalho focando as discussões na valorização profissional, atribuições profissionais, selo de qualidade das instituições de ensino e reestruturação da Feira de Ciências e Inovações Tecnológicas e Engrenagem Corporativa (Feicintec).