Pesquisar no site...

Durante os dias 27 e 28 de fevereiro de 2019, representantes dos colégios estaduais de Entidades (CEE), de Inspetores (CEI) e de Instituições de Ensino (CIE) participaram de reunião na sede do Conselho. No primeiro dia, do encontro eles tiveram a oportunidade de ouvir o presidente Lucio Borges, os diretores e os superintendentes. Houve apresentação do Balanço de 2018, além de espaço aberto para diálogo e integração.

No segundo dia, cada um dos Colégios seguiu agenda específica. Na reunião do Colégio Estadual de Entidades, o principal tema foi o Chamamento Público. O assessor da presidência Lucas Morais apresentou um balanço da edição 2018 e os presentes deram sugestões para o deste ano. 

O superintendente de Relações Institucionais Jean Marcus Ribeiro, que também é presidente da Federação das Associações de Engenharia e Agronomia do Estado de Minas Gerais (Faea-MG), falou com os membros das entidades sobre chamamento e também sobre as inovações previstas com o objetivo de dar mais transparência e flexibilidade no próximo edital. “Todas as alterações são para melhorar o processo, mas sempre com segurança jurídica e dentro da legalidade”, reforçou Jean. Ainda na agenda, o assessor da presidência Marcos Túlio de Melo apresentou a proposta de dinâmica para o 10º Congresso Nacional de Profissionais (CNP) e Congresso Estadual de Profissionais (CEP). 

Casos de sucesso

Como parte da programação, algumas entidades apresentaram experiências de sucesso realizadas com recursos do Chamamento. 

A Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Pará de Minas (Aepam) mostrou o aplicativo Indicador Profissional que reúne os profissionais da região, vagas de estágios, matrículas em cursos e serve como um guia de serviços. O presidente da associação, engenheiro mecânico Ildes Pacheco, reforça a disposição de usar a tecnologia para garantir melhores oportunidades para associados. “A intenção é organizar o mercado em favor deste associado. Porque quando você precisa de um profissional da Engenharia, da Agronomia precisa perguntar se conhece alguém. Em Pará de Minas, não. O Indicador Profissional cumpre este papel selecionando os melhores profissionais na palma da mão. O celular converge hoje todas as informações do nosso dia”, ressalta.  

Já  a Asep, de Pedro Leopoldo, apresentou o projeto Asep em Ação que leva para a inspetoria do Crea na cidade, vários cursos e palestras. O projeto, apresentando pelo presidente da Asep, Juliano Reis Fagundes e pela diretora-secretária Maria Fernanda Alves, evidencia a disposição da entidade à valorização da Engenharia. A mobilização gera conhecimento à região através de palestras técnicas e cursos com certificação para os profissionais explica o presidente da Asep, engenheiro civil Juliano Reis Fagundes. "Esse chamamento tem uma importância vital para o desenvolvimento da associação. Porque as entidades precisam ter uma estabilidade estrutural para poder viabilizar o repasse do Crea. Vamos participar do novo chamamento do Crea de 2019, estamos com o projeto praticamente fechado", conclui.

Núcleo de Avaliação, Perícia, Impacto Ambiental de Empreendimentos Rurais (Napier) foi o projeto compartilhado pela Smea. O Napier, que conta com a parceria do Ibape-MG, vai oferecer, este ano, três cursos para preparar os profissionais para esse tipo de avaliação e perícia, além de manter um plantão permanente para responder perguntas sobre o tema. “A nossa ideia é credenciar estes colegas nas varas federais e estaduais, para que possam proceder a trabalhos de perícia e avaliação de imóveis rurais. Teremos um plantão que eu chamo de UPA, unidade de pronto atendimento, trocando ideias e informações, dirigida por peritos seniores”, explica o presidente da Smea, Emílio Mouchrek.

Outro projeto apresentando foi o da Associação Centro Mineira dos Profissionais de Engenharia e Agronomia de Curvelo (Acentopea) que completa três décadas de atividades neste ano com metas bem estabelecidas: ampliar o número de associados e garantir um assento no plenário do Crea-MG. A entidade promoveu, com recursos do Chamamento, a Feira de Engenharia e Inovação Tecnológica, que era realizada pelo Crea-MG Júnior.  “A Acentopea abraçou este projeto, colocando-o no chamamento público e levando os profissionais e multiplicando o evento. Foram 300 pessoas nos três dias de feira”, explicou o presidente da entidade,  engenheiro civil e de segurança do trabalho Gustavo Diniz Gonzaga. 

Eleições

O último dia de trabalho foi marcado pela eleição dos coordenadores estadual, adjunto e das regiões do CEE para 2019.O novo coordenador estadual do CEE, Fernando de Barros Magalhães, disse que seu maior desafio é atender às necessidades das entidades, principalmente as do interior. “Vamos trabalhar com o Chamamento Público, apoiando as entidades na elaboração de seus projetos. O coordenador tem que estar alinhado com a presidência do Crea mas não posso ter receio de pedir coisas em prol das entidades”, afirmou Fernando. 

Confira a lista dos eleitos.:

Coordenador estadual: Fernando de Barros Magalhães, da Associação de Engenheiros de Pouso Alegre e Região (Aepa)

Adjunto: Marcelo Fernandes da Costa, do Instituto Mineiro de Engenharia Civil (Imec)

Metropolitana: Gustavo Diniz Gonzaga, da Associação Centro Mineira dos Profissionais de Engenharia e Agronomia (Acentopea)

Norte: Rafael Alexandre Sá, da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Norte (Agro-NM)

Triângulo: Nádia Cristina Santos Sudário, da Associação dos Profissionais Geógrafos do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Aprogeo-Trialto)

Sul: Luiz Carlos Pelegrin, da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Região de Alfenas (Asseara)

Central: Luiz Paulo da Silva Mendes, do Clube de Engenharia de Divinópolis (CED)

Leste: José Pedro Gomes, da Associação dos Engenheiros de João Monlevade (AEJM)

Sudeste: William José Cazetta Vaz, da Associação dos Engenheiros e Agrônomos de Ubá (SEA) 

Confira as fotos