celular

01. Desenvolvimento Nacional

Discurso de Darc da Costa sobre a importância do CEP/CNP para o Sistema Confea/Crea, proferido durante a SOEA.

 

Leitura recomendada:

O Crea-MG selecionou textos e vídeos que podem ser úteis nas discussões sobre o tema central e os eixos do 10o. CEP. Confira:

Quem é quem no Sistema Confea/Crea/Mutua - conheça o papel de cada uma das engrenagens que integram o Sistema, a legislação básica dos conselhos, como é distribuída a arredação e como é feito o controle dos gastos por órgãos internos e externos, os principais serviços, a organização político-administrativa do Crea-MG e alguns resultados aferidos em 2018.

 

Os textos listados abaixo dão uma visão geral sobre a discussão proposta pelo 10o. CEP:

As empresas públicas na promoção do desenvolvimento regional - Modelos de desenvolvimento para Minas Gerais

Os slides abordam o papel das empresas públicas no desenvolvimento, considerando as desigualdades regionais, setores estratégicos e vocações, dentre outros aspectos. 


De onde vem as boas ideias

Baseado no livro de mesmo nome, de autoria de Steven Jonhson, o vídeo fala da importância das interações entre as pessoas para a geração de boas ideias. Tudo a ver com o processo dos congressos de profissionais promovido pelo Sistema Confea/Crea/Mútua. Os debates realizados em cada etapa devem permitir a geração de boas ideias que vão nortear as propostas da Engenharia, da Agronomia e das Geociências para o desenvolvimento do país. 


Código de Ética Profissional da Engenharia, da Agronomia, da Geologia, da Geografia e da Meteorologia

O Código de Ética é um instrumento indispensável para a atuação da Engenharia, Agronomia, Geografia, Geologia e Meteorologia. Direitos, deveres e condutas vedadas aos profissionais estão orientados no Código.


Estado empreendedor: setor público x setor privado

Por que o governo simplesmente não sai do caminho e deixa o setor privado, os "verdadeiros revolucionários", inovar? É a retórica que se escuta em todo lugar. No vídeo, Mariana Mazzucato desmistifica a ideia de que o Estado é um mero reparador de mercados e cita exemplos de investimentos de alto risco e inovações para advogar uma nova relação entre os setores público e privado.


Encontros Regionais - Diagnósticos técnicos apontam caminhos para o futuro

Cada uma das matérias traça um panorama e apresenta as propostas gerais dos eixos que nortearam os Encontros Regionais promovidos pelo Crea-MG entre 2012 e 2013.

Alimentos - Impacto das Chuvas - Meio Ambiente - Rodovias - Urbanicidade

Brasil 2035: cenários para o desenvolvimento

O livro integra o “Projeto Brasil 2035”, que teve como objetivo principal construir cenários para o Brasil que servissem de subsídio para o debate e a formulação de estratégias de longo prazo para o país, tendo 2035 como horizonte temporal. Sugerimos a leitura das cenas "bioeconomia: moldando o futuro da agricultura" e "energia", que estão diretamente relacionados aos tema e eixos do CEP.


Notas de políticas públicas - Por um ajuste justo com crescimento compartilhado.

A página do World Bank de 2018 traz um panorama dos principais desafios de desenvolvimento econômico e social do Brasil, propondo possíveis caminhos para o enfrentamento. O texto traça um panorama dos cenário brasileiro frente ao mundo, destacando o baixo investimento do governo em políticas de infraestrutura. Com dados estatísticos, o documento apresenta as dificuldades e possíveis soluções do país.

No eixo Atuação das empresas de Engenharia, o objetivo é discutir a governança das empresas de Engenharia e obras públicas. Arcabouço jurídico, tributação, planejamento e relacionamento entre os diversos órgãos e interessados estão entre algumas das questões contempladas por esse tópico.

A Retomada da Agenda Perdida das Compras Públicas: Notas Sobre o Novo Projeto de Lei de Licitações da Câmara dos Deputados em 2018/2019.

O texto, por meio da apresentação de leis e regulamentos, debate sobre os processos legislatórios e pregões em obras públicas. No final do documento (PDF, a partir da página 121), há um interessante quadro-resumo com as alterações cogitadas e propostas. 


A Engenharia Nacional e o desenvolvimento do País

O texto de Alexandre Santos, disponibilizado inicialmente como texto referencial do 9º. CNP, mostra que a engenharia brasileira deve ser considerada como setor estratégico da economia e protegida do risco de desnacionalização. O autor considera que o Brasil enfrenta o risco concreto de ver o setor da engenharia desnacionalizar-se e, ser ocupado por grandes corporações multinacionais.  

Os rumos da formação profissional da Engenharia e da Agronomia brasileiras é o destaque do eixo sobre Atuação Profissional. As competências e atribuições dos profissionais, educação à distância e qualificação continuada estão na ordem do dia dos debates, assim como questões relativas à legislação para concessão de atribuições no âmbito do Sistema Confea/Crea, sombreamentos e ética profissional, dentre outros aspectos.

Atuação profissional: os rumos da formação profissional da Engenharia e da Agronomia brasileiras

O artigo de Camila Karen Reis Barbosa discute a redução dos investimentos em educação e inovação tecnológica, a formação em EaD e a atuação dos profissionais. Ela destaca a questão do exercício ilegal da profissão como uma ameaça à sociedade.


O Mercado de Trabalho Formal dos Profissionais da Engenharia

O estudo produzido pelo Dieese, em parceria com a Fisenge, de 2018, trata do mercado de trabalho na área de engenharia no Brasil e no mundo, trazendo dados estatísticos e números que mostram a recente queda da quantidade de empregos de engenharia. Os dados estão organizados em um capítulo geral, sobre o país, e capítulos específicos sobre os estados, facilitando o acesso e leitura do material.


O que já existe e o que é novo

Escrito por Edison Flávio Macedo em 2013, como contribuição para o 8o. CNP, o texto traz reflexões sobre a natureza da mudança, tanto no contexto da engenharia e do Sistema, quanto no sentido semântico do termo. O artigo reflete, também, sobre a amplitude do Marco Legal que regula as profissões e os processos de alteração ou criação de legislações e de modos de gerenciamento. 


A Engenharia e o Saci Pererê

O texto de Wilson Xavier Dias, submetido ao 8o. CNP, em 2013, demonstra, por meio de dados nacionais, a importância do Sistema Crea/Confea e Mútua para a sociedade e profissionais. O artigo destaca as interpretações errôneas que acabam por mitificar a figura dos Conselhos. Wilson demonstra as dimensões do Sistema, com destaque para a representação que este traz. Ao fim, o autor apresenta sugestões que servem de base para elaboração de propostas.


Uma abordagem crítica da Lei 5.194/66: O que deve ser preservado, o que precisa ser atualizado e as inovações demandadas pelos novos tempos

O artigo de Claude Pasteur de Andrade Faria, escrito em 2013, para o 8o. CNP, faz uma discussão ainda - ou cada vez mais - atual. Reflete sobre a Lei 5.194/66, destacando três aspectos distintos: o que deve ser mantido, o que deve ser alterado e o que deve ser incluído na legislação que foi escrita durante o período da ditadura militar brasileira e não condiz com a vigência de uma nova ordem constitucional de um estado democrático e de direito. Ao fim, o autor debate sobre os repasses realizados pelo Sistema, a Comissão de ética e o sistema de ARTs.


A Mútua no contexto da modernização das leis nºs 5.194/66 e 6.496/77

O texto, que foi considerado referencial quando do 8o. CNP, em 2013, destaca a importância das ARTs para profissionais e contratantes, trazendo informações sobre as leis que regem a existência das Anotações. Outro tópico de discussão apresentado pelo artigo é a descentralização administrativa da Mútua, formas de eleição dos dirigentes da Caixa de Assistência, sustentabilidade financeira e novas propostas de benefícios para os profissionais registrados.


Engenharia em Xeque

O texto, elaborado para o 9º. CNP, relata que os acidentes em empreendimentos em construção, muitas vezes com vítimas fatais, estão a abalar a credibilidade da engenharia brasileira. Explica que a contratação integrada levou ao desmantelamento da Engenharia Pública e que poder público deve voltar a desempenhar o papel de planejador dos investimentos e de gestor da realização, através da adoção de algumas medidas, entre elas resgatar o papel da Engenharia Pública.


Inovação e capacitação: novos rumos para a engenharia e agronomia brasileira

Os autores, estudantes vinculados ao Crea-MG Júnior, apontam a necessidade de se pensar sobre inovação e capacitação no contexto da indústria 4.0. Para eles, é preciso criar uma rede de relacionamento entre instituições de ensino, empresas e outros atores para que a formação esteja sintonizada com as novas demandas. 

A governança da política de infraestrutura brasileira sob a ótica da Engenharia é o cerne do eixo Infraestrutura, que abrange os debates sobre as cadeias produtivas, as esferas de governo e as demandas sociais.

Grandes obras paradas: como enfrentar o problema?

O trabalho da CNI se propôs a analisar as obras paralisadas sob dois prismas. Primeiro, o do diagnóstico, que considerou a relevância das obras e do custo que implicam para o país. Segundo, o do desenho de uma agenda de propostas, que permita lidar com as obras que já estão paradas e evitar que o problema continue se repetindo com tanta frequência e custo.


Governança da política de infraestrutura: condicionantes institucionais ao investimento

O livro de 2018 traz uma coletânea de artigos que tratam da importância das políticas públicas para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil. Por meio dados estatísticos de investimentos, citações de estudos e pesquisas, e outros dados, os textos apresentam a situação do Brasil no setor, em comparação com outros países.


Determinantes regionais da produtividade industrial: o papel da infraestrutura

O artigo apresenta como a oferta de infraestrutura local influencia a produtividade da indústria nas regiões do Brasil, analisando o comportamento da produtividade das empresas de acordo com a infraestrutura regional ofertada, e avaliando se essa infraestrutura disponível na região afeta o desempenho das empresas. Ao fim, o artigo constrói um painel de dados considerando as informações da indústria de transformação nas mesorregiões brasileiras de 2000 a 2010.


Impacto da infraestrutura de transportes sobre o desenvolvimento e a produtividade no Brasil

O texto analisa o impacto do investimento público em transportes sobre o produto interno bruto (PIB) nacional. Durante o desenvolvimento são apresentados elementos teóricos e conceituais acerca do impacto de investimentos em infraestrutura econômica sobre o potencial de crescimento e desenvolvimento de uma nação, além de fazer uma revisão da literatura empírica e dados. O artigo usa como modelo econométrico empírico os Vetores Autoregressivos (VAR), que desenvolve um cálculo do coeficiente de correlação entre investimento público e privado em transportes.


O Agronegócio e seus gargalos

Camil Eid, autor do texto utilizado no 9º. CNP, mostra que apesar do Brasil estar se posicionando como uma potência em agronegócio, o setor tem necessidade de conseguir mais investimento, tanto do setor público quanto da iniciativa privada e precisa de toda a atenção no que se refere à logística de transporte dos produtos agrícolas, dotando a estrutura de sistemas ferroviários, hidroviários e a melhoria dos portos.

Como fomentar inovações tecnológicas no processo de desenvolvimento econômico sob a ótica da Engenharia e da Agronomia é a principal questão do eixo Inovações Tecnológicas.

Pontes deveriam se belas

Apresentado pelo engenheiro de estruturas, Ian Firth, o TED propõe uma reflexão sobre as condições de infraestrutura, inovações e potencial artístico das pontes. O vídeo, que tem 14 minutos, apresenta modelos de pontes ao redor do mundo e dados estatísticos sobre estas construções. Uma das discussões propostas por Ian é sobre o tempo de maturação das ideias e o desenvolvimento tecnológico relacionado à estruturas de engenharia, discutindo, ainda, a questão do risco envolvido nos empreendimentos desse tipo.


Inovação e Produtividade: Por uma renovada agenda de políticas públicas

Fernanda de Negri, do Ipea, aponta a necessidade de uma agenda renovada de políticas públicas para ampliar a produtividade e a inovação na economia brasileira. Relata que é necessário produzir conhecimento e tecnologias que possam contribuir na solução dos problemas concretos do país.


The Fourth Industrial Revolution - What It Means and How to Respond

O texto destaca os aspectos de infraestrutura e negócios de engenharia que sofreram modificações após a quarta revolução industrial. Dividido em tópicos, o autor explica por meio de exemplos e literatura da área os impactos das inovações para as pessoas, as empresas e os governos. Ao fim, o artigo transita pelas revoluções industriais anteriores para tentar prever quais mudanças podem ser esperadas no século XXI.


Importância do investimento tecnológico nas áreas de engenharia e agronomia

O emprego de inovações para o desenvolvimento do país torna-se cada vez mais necessário e o texto dos estudantes vinculados ao Crea-MG Júnior aponta contradições e desafios para os profissionais das áreas abrangidas pelo Sistema.

O eixo Recursos Naturais propõe discutir o papel da Engenharia e da Agronomia na utilização e aproveitamento de recursos naturais com sustentabilidade.

Cartilhas - A engenharia e a sustentabilidade 

A série de cartilhas apresenta o papel da engenharia na consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, demonstrando assim o protagonismo da engenharia na construção de um planeta sustentável, estaremos contribuindo para a discussão e a formação de profissionais mais conscientes e gabaritados. A primeira cartilha – A Engenharia e a Sustentabilidade – traz uma abordagem ampla do papel da engenharia para a consecução do desenvolvimento sustentável, discutindo o papel da categoria profissional do Sistema Confea/Crea e o perfil para o exercício profissional com base nas premissas da sustentabilidade. A série é complementada com quatro cartilhas temáticas - solo e florestas, água, energia e mudanças climáticas, e cidade - que desenvolvem temas transversais nos ODS, na perspectiva do papel da engenharia nos pilares econômico, social e ambiental do desenvolvimento sustentável. Para tanto serão abordados conceitos e definições acerca dos temas, seus principais desafios, oportunidades tecnológicas, inovações e casos de sucesso.


A urbanização em uma relação de equilíbrio com os recursos naturais

Thatyany Soares Braga discute a necessidade de estabelecer uma relação equilibrada entre urbanização e utilização dos recursos naturais. Ela destaca a legislação ambiental nos três níveis de governo e as exigências para obtenção da certificação ISO 14.001:2015.


Matriz Energética no Brasil

O texto elaborado por estudantes ligados ao Crea-MG Júnior discute a questão da matriz energética brasileira, defendendo a construção de um projeto nacional que valorize os pontos fortes de cada região, possibilitando o desenvolvimento de fontes de energia mais sustentáveis.


Economicidade e sustentabilidade na engenharia

Gabriel Augusto de Oliveira aborda os efeitos das atividades humanas e chama a atenção para a responsabilidade dos profissionais para que desenvolvam suas atribuições de forma a garantir um desenvolvimento sustentável e o correto aproveitamento dos recursos naturais ligados à área de atuação de cada um. 


Engenharia e Sustentabilidade

Associar a engenharia e a agronomia às práticas sustentáveis é fundamental, defende o texto dos estudantes ligados ao Crea-MG Júnior. O documento discute o papel do profissional e os atores a serem observados para garantir a sustentabilidade dos empreendimentos.


O desafio da prática de desenvolvimento sustentável

O documento, elaborado por estudantes vinculados ao Crea-MG Júnior, aborda o papel fundamental das engenharias e da agronomia no desenvolvimento de soluções sustentáveis. 


Engenharia em busca de uma forma segura para explorar os recursos naturais

Os estudantes vinculados ao Crea-MG Júnior destacam o uso inconseqüente dos recursos naturais e o impacto negativo no meio ambiente para argumentar sobre a necessidade de desenvolver práticas sustentáveis pelos profissionais de engenharia e agronomia.

Confira textos que trazem discussões com uma perspectiva técnica:

Análise da Segurança de Barragens Através de Instrumentação e Geodésicas: Uma Abordagem Inovadora 

O texto de Niel Nascimento Teixeira fala sobre potencial de risco de barragens e necessidade de monitoramento.

 

NACIONAIS

Metas Nacionais Prioritárias - Agenda De 100 Dias De Governo 

 

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional sobre Mudança do Clima

 

Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT)

Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal 

Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado

Projeto TerraMar

Plano Nacional de Energia 2030 

Programa de Incentivo às Fontes Alternativas 

Programa de Eficiência Energética

 

 

ESTADUAIS

Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2019 para o setor 

 

Certifica Minas – Certificação de produtos agropecuários e agroindustriais

Estratégia intersetorial de redução do uso de agrotóxicos e apoio à agroecologia e à produção orgânica em Minas Gerais – Plano estratégico 2018/2022 

Rede de Desenvolvimento Institucional e Capacitação – REDIC 

Minas Integrada 

Nossa Cidade Melhor 

Programa Saneamento é Vida   

Apoio à Agricultura Familiar - Distribuição de sementes 

Plano de Urgência para Enfrentamento da Seca 

Água para Todos - Universalização do Acesso

Água para Todos - Projetos de Pequenas Barragens

Conselho de Coordenação Cartográfica (Concar) 

Programa Mineiro da Qualidade e Produtividade no Habitat 

Parques Tecnológicos 

Simi - Sistema Mineiro de Inovação 

Polos de Excelência 

Programa de Incentivo à Inovação – PII 

Pop Ciência MG - Programa de Popularização da Ciência e Tecnologia 

Hub Minas Digital

Polos Regionais de Inovação

Projeto Cidades Digitais

Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica – IEBT 

Complexo Aeroespacial de MG 

Projeto de Difusão do Minas Digital 

Startup Universitário

Minas Inova 

PDDI | Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado 

 

Mobilidade Metropolitana

Plano Metropolitano de Gestão Integrada de Resíduos com Foco em Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) e Resíduos da Construção Civil e Volumosos (RCCV) 

Recursos Minerais de Minas Gerais

Geoparques

 

Estudo de alternativas para o incremento da oferta hídrica nas áreas de escassez crônica no norte de Minas – Resumo executivo (2018)

O resumo apresenta, de forma sucinta, o trabalho “Estudo de alternativas para o incremento da oferta hídrica nas áreas de escassez crônica no Norte de Minas Gerais”, que tem por objetivo garantir a toda a população da região, seja ela rural ou urbana, água potável em todas as situações, mesmo durante os períodos frequentes de escassez que assolam aquela região.