Pesquisar no site...

Com a participação de aproximadamente 130 pessoas, o CEP Regional da Leste ocorreu nos dias 31 de maio e 1º de junho de 2019. Ele é um dos sete encontros a serem promovidos até o dia 15 de junho em todo estado. A abertura do evento, que precede o Congresso Estadual de Profissionais (CEP-MG), foi realizada no teatro Zélia Oguim, e os grupos de trabalho para discussão das propostas se reuniram, no segundo dia, na Faculdade Pitágoras de Ipatinga.

No início do evento, o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, reforçou a importância dos CEPs Regionais e a necessidade de concluir os encontros com boas propostas para o Congresso Estadual. “Hoje, promovemos o quarto encontro regional. A Região Leste produziu 110 propostas dentro dos cinco eixos temáticos. Esse envolvimento é muito satisfatório, pois percebemos uma vontade dos profissionais de contribuírem tecnicamente na construção de políticas públicas e na elaboração de estratégias da engenharia e da agronomia para estimular o desenvolvimento local e nacional”, ressaltou.

Em seguida, o inspetor-chefe de Ipatinga, engenheiro civil Éder Faria, afirmou que o CEP apontou alternativas para valorizar os profissionais e estimular o crescimento econômico da região. “Ipatinga está situada no Vale do Aço com várias indústrias siderúrgicas e há uma concentração muito grande de engenheiros mecânicos, metalúrgicos, eletricistas. Em nossa região, temos a BR 381 que precisa ser ampliada", destacou. Nesse sentido, o inspetor avalia que as propostas, que apresentam estratégias da engenharia para o desenvolvimento, observando, dentre outras, a questão da infraestrutura, estão alinhadas às demandas sociais. 

Outro assunto muito debatido no evento foi inovações tecnológicas. Segundo o coordenador do Colégio Estadual de Instituições de Ensino do Crea-MG, engenheiro Rondinelly Pereira, o investimento em tecnologia é fundamental para impulsionar o desenvolvimento regional. “O caminho para a evolução é se adaptar às novas tecnologias. O Vale do Aço evolui cada vez mais com o avanço da tecnologia. Comparada com outras regiões, essa aqui usa muito isso em seu favor, principalmente nos locais onde estão as indústrias e grandes empresas”, afirmou.

Palestras

Para ampliar o diálogo e proporcionar uma pluralidade de opiniões a serem consideradas na formulação de propostas, o evento contou com três palestras que abordaram inovações tecnológicas, meio ambiente e atuação profissional em seus respectivos sindicatos. Em comum, as palestras abordam questões necessárias para garantir o desenvolvimento econômico, que demanda a articulação do conhecimento técnico, relação ética com a sociedade e a boa e honesta prática profissional.  A primeira delas, Indústria 4.0 e suas tecnologias foi ministrada pelo engenheiro eletricista e professor do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste) Ronaldo Ribeiro. “Tenho estudado muito este tema e vejo que nossa indústria está perdendo competitividade. Diante disso, tenho defendido novas tecnologias para melhorar os processos e gerar novos resultados. Não têm como as empresas e indústrias entrarem para a indústria 4.0 se primeiro não estiver lá o profissional qualificado” concluiu.

O Diagnóstico Hidroambiental para a gestão de recursos hídricos foi apresentado pelas estudantes de engenharia ambiental Geovanna Oliveira e de Ciências Biológicas Eduarda Tavares. “Aqui em Ipatinga foram mapeadas 572 nascentes, através dos projetos Mapa da Mina e o Mobiliza pela Água. Depois deste mapeamento, foram recuperadas várias nascentes que estavam secas e hoje produzem água”, ressaltou Eduarda.

Já o diretor do Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), engenheiro ambiental, civil e de segurança do trabalho Alírio Mendes Júnior, discutiu a Atuação profissional e o movimento sindical. “O objetivo foi conscientizar os profissionais da importância do sindicato na defesa de suas ações e na estratégia de retomada do desenvolvimento econômico e social do país”, enfatizou.

Propostas e delegados

Os profissionais das inspetorias de Almenara, Araçuaí, Caratinga, Governador Valadares, Ipatinga, Itabira João Monlevade, Manhuaçu e Teófilo Otoni participaram do CEP Regional da Leste.

Após discutirem Estratégias da Engenharia e da Agronomia para o Desenvolvimento Nacional, tema do 10º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), os profissionais elegeram, no dia 1º de junho, os delegados. Das 110 propostas vindas das inspetorias, 85 foram aprovadas no CEP Regional da Leste. Também foram aprovadas cinco novas propostas e uma moção, formuladas nesta etapa, observando os cinco eixos temáticos: inovações tecnológicas, recursos naturais, infraestrutura, atuação profissional e atuação das empresas de engenharia. Seguem para o CEP-MG, 90 propostas, uma moção e 26 delegados que representarão a Região Leste. 

10º CEP/CNP - O CEP/CNP é um fórum organizado pelo Confea, apoiado pelos Creas e pelas entidades nacionais, que tem por objetivo discutir e propor políticas, estratégias, diretrizes e programas de atuação, visando à participação dos profissionais das áreas abrangidas pelo Sistema Confea/Crea no desenvolvimento nacional, propiciando maior integração com a sociedade e entidades governamentais.

A série de eventos é realizada a cada três anos e conta com o apoio institucional da Mútua, responsável por parte do custeio das atividades e das delegações que vão participar das etapas regional, estadual e nacional.

 

Confira as fotos