Pesquisar no site...

Com mais de 100 participantes, o CEP Regional da Metropolitana ocorreu no dia 23 de maio de 2019. Ele é um dos sete a serem promovidos até o dia 15 de junho de 2019 em todo estado. O evento, que precede o Congresso Estadual de Profissionais (CEP-MG), foi na sede do Crea-MG, e reuniu profissionais, inclusive o vice-prefeito de Belo Horizonte, engenheiro eletricista Paulo Lamac.

Na abertura, o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, citou os CEPs Inspetorias e reforçou a importância das etapas regionais. “Tivemos uma atuação destacada dos profissionais em todas as inspetorias. Nas 11 que integram a Região Metropolitana foram produzidas boas propostas. Esse envolvimento é muito satisfatório e mostra que Minas está mobilizada e se preparando para participar do Congresso Estadual”, afirmou.

Na sequência, a inspetora-chefe de Belo Horizonte, engenheira civil Júnia Neves, acrescentou que a realização do CEP está sendo possível devido à mobilização da Comissão Organizadora e dos representantes do Crea-MG em todas as regiões. “Todos nós temos trabalhado muito neste Congresso, conversando com os profissionais e a sociedade para conhecer mais o Sistema Confea/Crea e Mútua e proporem diversas soluções para alavancar as nossas profissões”, ressaltou. 

Para o vice-prefeito de Belo Horizonte, o CEP possibilita aos engenheiros serem os protagonistas na retomada do desenvolvimento econômico e social. “Não existe desenvolvimento sem engenharia e muito menos sem planejamento. Este encontro realizado pelo Crea é de altíssimo nível e estimula os profissionais a buscarem alternativas para retomar o crescimento em meio aos grandes desafios que temos”, enfatizou. 

Palestras

Para ampliar o diálogo e proporcionar uma pluralidade de opiniões a serem consideradas na formulação de propostas, o evento contou com três palestras. A primeira delas, A importância das empresas públicas para o crescimento econômico social regional foi ministrada pelo ex-presidente da Usiminas e da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), doutor em engenharia metalúrgica Marco Antônio Castelo Branco. Ele apresentou um panorama das desigualdades regionais de Minas Gerais. “Nosso estado é marcado por regiões com estágios de desenvolvimento bastante heterogêneos entre si. Isso tem estreita relação com a abrangência das vocações setoriais e os investimentos feitos nas localidades”, afirmou.

Modelo energético e minerário: desenvolvimento para quê e para quem? foi apresentado pelo coordenador nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), engenheiro florestal Pablo Dias. Ele explicou que o MAB desenvolveu, em parceria com a Cemig, o projeto de pesquisa Veredas Sol e Lares para geração de energia fotovoltaica no Vale do Jequitinhonha. “Este projeto foi pensado pelas próprias comunidades da região. Aproximadamente 1250 famílias serão beneficiadas com a energia produzida na usina e com redução nas contas de energia”, ressaltou.

Já o coordenador do curso de pós-graduação em Automação Industrial do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), engenheiro eletricista Yvo Chiaradia, palestrou Artificial Intelligence and Biomedical Enginnering e comentou qual deve ser o novo perfil do engenheiro. "O novo engenheiro precisa estar totalmente alinhado às novas tecnologias, independente de sua formação. Precisa saber valorizar e lidar com toda informação disponível e utilizá-la de forma ética. O mercado precisa mais de profissionais inteligentes do que de máquinas que simulam estas características", concluiu.

Propostas e delegados

Os profissionais das inspetorias de Belo Horizonte, Betim, Conselheiro Lafaiete, Contagem, Curvelo, Nova Lima, Ouro Branco, Ouro Preto, Pedro Leopoldo, Santa Luzia e Sete Lagoas participaram ativamente do CEP Regional Metropolitana.

Após discutirem Estratégias da Engenharia e da Agronomia para o Desenvolvimento Nacional, tema do 10º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), os profissionais elegeram, no dia 24 de maio, os delegados. Das 85 propostas vindas das inspetorias, 47 foram aprovadas no CEP da Região Metropolitana. Também foram aprovadas outras quatro formuladas nesta etapa, observando os cinco eixos temáticos: inovações tecnológicas, recursos naturais, infraestrutura, atuação profissional e atuação das empresas de engenharia. Seguem para o CEP-MG, 51 propostas e 38 delegados que representarão a Região Metropolitana. 

10º CEP/CNP - O CEP/CNP é um fórum organizado pelo Confea, apoiado pelos Creas e pelas entidades nacionais, que tem por objetivo discutir e propor políticas, estratégias, diretrizes e programas de atuação, visando à participação dos profissionais das áreas abrangidas pelo Sistema Confea/Crea no desenvolvimento nacional, propiciando maior integração com a sociedade e entidades governamentais.

A série de eventos é realizada a cada três anos e conta com o apoio institucional da Mútua, responsável por parte do custeio das atividades e das delegações que vão participar das etapas regional, estadual e nacional.