Ouça na Rádio Crea-Minas ou Baixe o Áudio

O plenário do Confea aprovou por unanimidade, no dia 25 de março, o adiamento dos prazos para o recolhimento das anuidades dos Creas até o dia 30 de julho deste ano. A deliberação da Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema, durante sessão plenária 1.561, atende a um pleito encaminhado pelo Colégio de Presidentes. Uma demanda dos profissionais em todos os Regionais, devido às dificuldades enfrentadas diante da pandemia de covid-19. O conselheiro federal por Minas Gerais, relator da matéria e coordenador da Comissão de Controle Sustentabilidade do Sistema, engenheiro civil Gilson Queiroz, apontou que a comissão ponderou os impactos da paralisação das atividades econômicas.

Sonora Gilson: Essa proposta pretende suavizar o impacto financeiro e ajudar os profissionais e empresas principalmente nos estados onde as atividades estão totalmente paralisadas. Esse adiamento vai ajudar os profissionais e empresas a se manterem adimplentes, vão ter suas certidões liberadas para participar de licitações públicas, para participarem de várias outras situações não caírem em dívida ativa, não terem os problemas que incorrem quando são atrasados os pagamentos, dessa forma os profissionais e empresas vão conseguir reduzir os impactos financeiros. E vamos torcer para que chegue logo a vacina, que a gente possa trabalhar novamente, vamos manter o distanciamento social, usar as máscaras quem tiver que trabalhar, sair.

Com a decisão sobre o adiamento das anuidades, a cota única no valor integral ou parcelado definido para o exercício deverá ser paga até 30 de julho. Até a mesma data, profissionais e empresas podem solicitar parcelamento em até 5x que devem ser quitadas em parcelas iguais e sucessivas do valor integral definido para o exercício, como explica o diretor administrativo e financeiro do Crea-MG, engenheiro civil Paulo Galvão. 

Sonora Paulo Galvão: Ontem o plenário do confea aprovou por unanimidade o adiamento do recolhimento das anuidades dos Creas até 30 de julho. A demanda era um pedido dos profissionais em todas as regionais devido às dificuldades enfrentadas durante o agravamento da pandemia do covid-19. com a decisão a cota única do valor integral e a cota do parcelamento das anuidades definidas para o exercício de 2021 deverão ser pagas até o dia 30 de julho sem juros e sem multa. Até a mesma data, profissionais e empresas podem solicitar parcelamento em até 5x que devem ser quitadas em parcelas iguais e sucessivas do valor integral.

Renato Franco
Rádio Crea-Minas