Com o objetivo de trocar experiências e buscar um Sistema Confea/Crea e Mútua cada vez mais forte e integrado, ocorreu, no dia 22 de janeiro de 2021, a primeira reunião dos Creas Sudeste da gestão 2021/2023. Na ocasião, o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges e seu vice, engenheiro mecânico Edilio Veloso, receberam, além dos presidentes do Crea de São Paulo, engenheiro de telecomunicações Vinicius Marchese; do Espírito Santo, engenheiro agrônomo Jorge Silva; e do Rio de Janeiro, engenheiro eletricista-eletrotécnico Luiz Antônio Cosenza, que participou de forma remota, o presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger.

"Essas reuniões regionais são muito importantes para o Sistema Confea/Crea e Mútua. É quando nós trocamos experiências, aprendemos muito e mostramos o que já fizemos. Foi assim na primeira gestão e será assim na segunda", afirmou o presidente Lucio Borges que relatou a experiência recente de migração da plataforma de serviços para o Sitac/Versão MG. Para ele, a migração foi um passo de muita coragem rumo à modernização tão necessária para a melhoria do atendimento ao profissional e à sociedade.

Também o presidente do Crea-SP entende que o objetivo é melhorar para ajudar o profissional e desenvolver um trabalho conjunto de modernização, inclusive da legislação. "A expectativa é de nos próximos três anos agregar valor aos serviços prestados pelo Crea São Paulo, por meio da tecnologia mudando a cultura da instituição. E a integração de todos os Creas junto a um Sistema que seja capitaneado pelo próprio Conselho Federal, pelo presidente Joel, pode ajudar muito nessa facilitação, nessa desburocratização dos serviços para a gente começar a atender o profissional de uma maneira diferente", ressaltou Vinícius.

Em sua primeira gestão à frente do Crea-ES, Jorge Silva demonstrou muito entusiasmo em participar da reunião. Para ele, é uma oportunidade de aprender com presidentes que já têm alguma experiência. Com questões relativas à fiscalização e administração, o presidente acredita que pode levar para o Espírito Santo muitas das soluções encontradas pelos outros Creas. "Eu acho muito importante a união dos Creas, principalmente, da nossa região em razão da gente lutar pela valorização profissional, para que a gente possa ter uma administração coesa", destacou Jorge.

A exemplo do que ocorre no Sudeste, Creas das outras regiões também se reúnem para alinhar questões que serão levadas ao Colégio de Presidentes. O presidente Joel acredita que essa é uma forma de fazer as articulações de Creas que muitas vezes têm características próximas para implementar melhorias de gestão, administrativas e de relacionamento com o Confea. "Sejam questões de normativos que precisam ser aprimorados, melhorados, mas principalmente o interesse da sociedade que ações que nós podemos fazer dentro da área de políticas públicas, de fiscalização para que a gente possa valorizar o exercício profissional, mas também possa fazer a defesa da sociedade. Esse é o grande produto que nós podemos entregar dessas reuniões regionais", conclui Joel.