Pesquisar no site...

O Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), campus Santa Luzia, está fabricando máscaras de proteção facial, tipo face shield, utilizadas pelos profissionais da saúde. O projeto conta com o apoio do Crea-JR MG - Núcleo Santa Luzia que está recebendo doação de acetato ou folha de PET e outros materiais para repassar ao IFMG. "O Crea-Jr foi convidado para ajudar na  gestão e logística para arrecadação de insumos necessários para produção das face shields, destaca Lany Martins Siqueira, graduanda em engenharia civil e coordenadora-adjunta geral do Núcleo.

O coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica, Tiago Simão Ferreira, explicou que a iniciativa abrange a participação de diversos campi e, segundo ele, todo o projeto foi realizado obedecendo às normas determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). "Em Santa Luzia, destacamos a participação do Crea-Jr que por meio de sua rede de contatos e colaboradores iniciou uma campanha para arrecadação de insumos necessários à produção local dos escudos faciais. A participação do Crea-Jr foi essencial para a celeridade de todo processo", ressalta Tiago.

O primeiro lote de máscaras foi entregue à Secretaria de Saúde do município no dia 28 de abrilde 2020. Além das máscaras, foram doados 50 litros de álcool líquido 70%. O material é destinado aos profissionais de saúde da cidade para o enfrentamento da covid-19, inclusive dentistas. 

Para doar, entre em contato com o Crea-Jr MG pelo telefone (31) 98911 7447 e fale com Lany.

Ouça na Rádio Crea-Minas ou leia na íntegra

O Núcleo Santa Luzia do Crea-Minas Júnior está recebendo doações de acetato ou folha de PET. Os materiais serão repassados para o Instituto Federal de MG para confecção de protetor facial médico, que será doado para hospitais. Este equipamento é um reforço importante às EPIs, determinantes para evitar a contaminação da Covid-19 em profissionais da saúde. Esta mobilização é uma entre tantas realizadas pelo programa, que completa em abril 20 anos de história. A articulação começou com estudantes de escolas de engenharia de Belo Horizonte, que levou a proposta ao Conselho. E então, no dia 23 de abril de 2000, foi instituída através de Decisão Plenária a Comissão Especial Crea Júnior. Quem explica o primeiro coordenador, então graduando de engenharia civil Rômulo Andrade Lopes. 

Rômulo Andrade Lopes: Não só reunindo lideranças estudantis, como também líderes de empresas juniores, que tiveram grande papel na construção do Crea Jr-MG. E assim entendemos qual seria o principal papel desta comissão. Creio que essa semente tão bem plantada surte bons frutos até hoje. 

Desde então, o programa se expandiu e conta com 700 colaboradores vinculados a 120 instituições de ensino superior, localizadas em 56 cidades mineiras e em 17 estados. Com esta força, foram realizadas cerca de 600 ações que impactaram diretamente mais de 60 mil pessoas em Minas Gerais. Uma das ações mais importantes é o Seminário de Jovens Lideranças. Realizado anualmente, tem como objetivo promover a formação de líderes e integrar os jovens ao Sistema Confea/Crea. A presidente estadual do Crea Jr-MG e coordenadora nacional dos Creas Juniores, graduanda em engenharia civil Thainá Prando Basto destaca outros valores do programa. 

Thainá Prando Basto: É importante ressaltar que estas atividades buscam trabalhar também o desenvolvimento de conhecimentos técnicos e acadêmicos, bem como promover uma capacitação pessoal, tornando estes estudantes mais preparados para atuarem no mercado de trabalho. Hoje, com esta pandemia nós temos buscado realizar atividades que tragam benefícios à população, como a arrecadação de material para a confecção de máscaras e também doações de alimentos. 

Em 20 anos, o Crea Jr-MG se consolidou como maior programa de formação de lideranças da área tecnológica. O grupo promove discussões, debates, palestras e seminários sobre legislação e ética profissional, além de ações sociais e visitas técnicas sobre temas relacionados às diversas profissões regulamentadas pelo Conselho – engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia. Mais informações pelo telefone 34 98854 4051 ou pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Ouça na Rádio Crea-Minas ou leia na íntegra

O Colégio Estadual de Entidades do Crea-MG completou, neste domingo, 26 de abril, 20 anos de história. Trata-se de um fórum consultivo que reúne as entidades, sindicatos e associações de classe Minas Gerais. Nestas duas décadas, o Colégio evoluiu como órgão consultivo do Conselho. Primeiro, com a adesão de novas representações. Depois, ao contribuir na construção do entendimento das entidades como organizações autônomas, com objetivos bem definidos. E, ao mesmo tempo, alinhadas à disposição do Crea-MG, de promover a capacitação dos profissionais e políticas públicas para o desenvolvimento sustentável. Mas, por conta de crises econômicas, a mobilização perdeu força e o Colégio de Entidades está empenhado em reverter a situação. O coordenador estadual do Colégio, engenheiro mecânico Waldimir Teles Filho, presidente da Associação de Engenharia Mecânica e Industrial de MG, lembra do papel das lideranças para uma retomada.

Waldimir Teles FilhoAs entidades de classe são importante pilar na composição do Plenário do Crea-MG, além de sua relevância junto aos profissionais do sistema e também para a sociedade, em razão de representar os milhares de profissionais da engenharia e geociências no estado. Temos 80 entidades ativas e estamos mobilizados para a regularização de dezenas que estão paralisadas. Bem como para a realização de novas entidades locais e regionais. Neste contexto, a participação das lideranças é essencial para o fortalecimento de nossas entidades. Por isso, nossa união é prioridade.

Uma das premissas do Colégio Estadual de Entidades do Crea-MG é manter programas de capacitação profissional em consonância com as mudanças de conjuntura de mercado. A pandemia do coronavírus gerou um cenário de incertezas em um ambiente que já não estava favorável. Assim, é preciso resgatar a essência desta base, com lideranças da engenharia apontando novos caminhos diante da crise. Quem lembra é diretor de Relações Institucionais do Crea-MG, engenheiro civil Álvaro Eduardo Goulart.

Álvaro Eduardo Goulart: E no momento que passamos, com a crise da Covid-19, precisamos ainda mais que as entidades ajudem à retomada. Sabemos que quando essa crise passar, e ela vai passar, precisaremos demais de nossos líderes, das entidades, com comprometimento e conhecimento. E com muita determinação, assumirem o papel que a engenharia vai ter na retomada. Afinal, um país forte se faz através de uma engenharia forte

Também cabe às entidades proporem políticas públicas que visem o desenvolvimento socioeconômico das regiões de Minas Gerais.

O Crea-MG enviou, no dia 24 de abril de 2020, e-mail para mais de 141 mil profissionais com informações sobre o local de votação para as eleições do Sistema Confea/Crea e Mútua que ocorre no dia 3 de junho. De acordo com o calendário divulgado pela Comissão Eleitoral Federal (CEF), os profissionais têm até o dia 4 de maio para solicitar alteração do local. No Crea-MG, a mudança é feita na área exclusiva do profissional, acessada pelo site do Conselho.
 
Também, no dia 24, a Comissão Eleitoral Regional (CER-MG) enviou a relação dos profissionais aptos para os candidatos Lucio Borges, José Ribeiro, que disputam a Presidência do Crea-MG e para Diogo Mesquita, que concorre à Presidência do Confea. A lista, apenas com os nomes, foi enviada por solicitação dos candidatos, conforme previsto no regulamento eleitoral e atende às diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).
 
Quem pode votar - Estão aptos a votar todos os profissionais que estejam em dia com o Conselho até o dia 3 de maio. “Com a prorrogação do prazo para quitação da anuidade referente a 2020, são considerados aptos todos aqueles que estão em dia com anuidades até 2019 e com parcelas de dívidas negociadas até 3 de maio deste ano”, explica o coordenador adjunto da CER-MG, engenheiro florestal João Paulo Sarmento.
 

Outras informações na página da CER-MG      

O Crea-MG continua vigilante em relação à propagação do novo coronavírus e implementando medidas de combate à pandemia. Com cerca de 40% dos funcionários trabalhando de forma presencial, o uso de máscara se tornou obrigatório nas dependências do Conselho e nas atividades de campo. 

Para viabilizar a iniciativa, o Crea-MG adquiriu três máscaras reutilizáveis para cada funcionário, estagiário e terceirizado. “Temos seguido todas as orientações das autoridades sanitárias e entendemos que as máscaras têm um papel importante no combate à pandemia. Aqui na sede, diversas pessoas que precisam atuar de forma presencial fizeram a retirada na Gerência de RH", destaca o gerente de RH, Lucas Tavares.

O superintendente de Regitro e Acervo do Crea-MG, Ricardo Barbosa Lacerda, acredita que a distribuição das mácaras demonstram a preocupaç'ao do Conselho com seus funcionários. "Saio de casa preocupado com a atual situação da pandemia, pois não temos informações precisas por parte das autoridades. Inclusive, além das máscaras, também recebemos o álcool em gel, o que garante menos riscos para quem tem que trabalhar presencialmente e principalmente, para quem faz o atendimento ao público" afirma Ricardo.

Proteção - Em Belo Horizonte e algumas outras cidades mineiras, o uso de máscaras tornou-se obrigatório no transporte público, supermercados e outros lugares onde há um maior número de pessoas. De acordo com o Ministério da Saúde, o uso das máscaras auxilia na proteção contra o novo coronavírus e seu uso é indicado.

atendimento mascara2