Pesquisar no site...

O Colégio Estadual de Instituições de Ensino (CIE) realizou, no dia 04 de outubro de 2019, a terceira reunião ordinária deste ano. O encontro, que discutiu temas como a pauta de trabalho deste ano, o planejamento do 2º Congresso das Instituições de Ensino e as estruturas curriculares referenciais, contou com a presença de representantes de diversas universidades cadastradas no Crea-MG. 

Durante a abertura, o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, destacou a importância do trabalho conjunto entre o Conselho e as instituições. “As escolas e universidade são o nosso início, o nosso berço. Contem sempre com o apoio do Crea. Sabemos que este é um trabalho muito importante, que fortalece nossas profissões, por isso vamos continuar congregando inspetores, entidades, presidência e instituições”, destacou o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges. 

A integração das IEs com o Conselho foi um tema recorrente no encontro. Para o coordenador do CIE, engenheiro civil Rondinelly Geraldo Pereira, a proximidade com o Sistema fortalece a engenharia e tende a melhorar o ensino. “Temos tido o apoio do Crea, que nos dá liberdade para colocar em prática nossos ideiais e projetos. Esse suporte contribui para fortalecer a engenharia e valorizar nossos futuros profissionais”, ressaltou Rondinelly.

Ainda durante a manhã, os presentes discutiram o planejamento do 2º Congresso das Instituições de Ensino, que será realizado em novembro deste ano. O evento, realizado pelas instituições que integram o Colégio, contará com palestras, grupos temáticos, mesa redonda, mostra universitária e será encerrado por um Scientific Happy Hour.

Outro ponto tratado foi o prêmio Profissional Destaque do Crea-MG, que homenageará profissionais nas categorias de educação, autônomos e empresariais que se destacaram na realização de suas atividades. Segundo Rondinelly, o objetivo é “valorizar os profissionais e dar força e visibilidade para as diversas áreas e atividades da engenharia. 

Na parte da tarde, o superintendente de Relações Institucionais do Crea-MG, engenheiro civil Jean Marcos Ribeiro explicou que o Conselho preparou uma série de modelos de palestras, voltadas para sociedade, profissionais e empreas, e instituições de ensino, para que haja uma padronização na apresentação do Regional para esses públicos. Na sequência, os representantes das câmaras especializadas apresentaram as estruturas curriculares referenciais das diversas modalidades, que foram debatidas e consolidadas por elas. 

Ao final, a coordenadora da Comissão de Educação do Crea-MG, engenheira civil Davina Braga orientou sobre a necessidade e como deve ser feito o cadastramento das instituições de ensino e cursos no Conselho e avaliou que "os objetivos do Crea estão alinhados com os objetivos instituições de ensino, assim, precisamos nos aproximar e trabalhar juntos".

CIE Reuniao

Nove fiscais do Crea-MG realizaram uma blitz de fiscalização em Sete Lagoas, onde percorreram mais de 170 obras e empreendimentos de diversos bairros. A ação que começou, no dia 1º de outubro de 2019, com uma reunião preparatória com os inspetores locais ainda prossegue.

Segundo o presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Borges, que participou da blitz no dia 03 de outubro, os resultados foram efetivos. “A ação em Sete Lagoas está sendo bem ágil, pois envolve um bom número de fiscais. Também é muito eficaz, principalmente pela contribuição do nosso inspetor-chefe, [engenheiro ambiental] Robson Dias, e do conselheiro e presidente da Associação Setelagoana de Engenharia, [engenheiro de produção] Eber França”, ressaltou.

A blitz, que inicialmente estava planejada para ser realizada até o dia 4 deste mês, será estendida. “A nossa meta é verificar a regularidade de outros empreendimentos e atividades da engenharia, agronomia e geociências de Sete Lagoas. Pelo volume de obras identificadas no município, verificamos que será necessária uma continuidade desta ação nas próximas semanas”, explicou o supervisor de fiscalização da região metropolitana Marcelo Ventura.

O principal objetivo da blitz é verificar a presença de profissionais habilitados e a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) nos serviços de engenharia, agronomia e geociências.

Segundo o inspetor-chefe Robson Dias, a fiscalização do Conselho promove segurança para a população. “O Crea tem uma responsabilidade social que muitos desconhecem. O nosso papel é defender a sociedade ao impedir a atuação de pessoas inabilitadas à frente de obras e serviços de engenharia”, destacou.

Balanço

No primeiro semestre de 2019, foram realizadas 29 blitze em todas as regiões do estado, com um total de mais de 4 mil ações de fiscalização em obras, empresas, contratos, quadro técnico e crédito rural. A fiscalização do Conselho é focada no exercício profissional da engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia, conforme prevê a lei federal 5.194/1966.

Lucio e fiscais Blitz

 

O presidente da Mútua Nacional, engenheiro civil Paulo Guimarães, se reuniu com o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, na manhã do dia primeiro de outubro de 2019, na sede do Conselho em Belo Horizonte. No encontro, foram discutidas ações futuras em prol dos engenheiros do Sistema e celebrada a união entre Crea-MG e a caixa de assistência.

Paulo Guimarães destacou, durante o encontro, o importante papel de Minas Gerais para a Mútua, agradecendo o apoio, a parceria e a proximidade constante com a Caixa de Assistência mineira. “Dessa forma [com o incentivo do Crea-MG] conseguimos fazer com que a Mútua, cumprindo com seu papel de ser o braço social do Sistema e em defesa da engenharia social e humana, traga os benefícios para os profissionais mineiros. A Mútua-MG tem o maior número de associados do Brasil. Nossa diretoria e colaboradores têm total entrosamento com o Crea. E, de todos as 27 regionais, Minas é a que está na liderança em número de profissionais associados”, ressaltou Paulo.

Os conselheiros do Crea-MG receberam, na manhã do dia 26 de setembro de 2019, convite para participar ativamente das discussões da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras. Atualmente, a Comissão está contribuindo para construção de um plano estratégico para a região metropolitana de Belo Horizonte, que tem sido realizado pela Fundação Dom Cabral. O Crea-MG tem acompanhado o trabalho da comissão desde as primeiras reuniões porque entende que participação dos engenheiros, agrônomos e profissionais das geociências é importante porque podem dar subsídios técnicos para as discussões realizadas. “A Assembleia tem um papel fundamental para nós da engenharia, já que nossas profissões se relacionam com várias áreas da administração pública”, reforçou o presidente do Crea-MG, engenheiro Lucio Borges.

O deputado estadual João Leite, presidente da comissão, participou da reunião das câmaras especializadas e criticou o modelo que é adotado atualmente na malha ferroviária de Minas Gerais, que prioriza o investimento nas rodovias em detrimento do transporte férreo, argumentando que a melhoria e ampliação do transporte suscita o desenvolvimento econômico e social. “O trem é a cara de Minas. Nos anos 60 tinhamos uma malha ferroviária muito mais ampla e que era utilizada em larga escala, para transporte de passageiros e para escoamento de carga. Porém, com o passar dos anos, o investimento foi diminuindo e as rodovias viraram o foco do transporte, especialmente o de carga. Hoje temos caminhões que transportam, nas rodovias e BRs, cargas que deveriam ser de ferrovias. Isso gera centenas de acidentes todos os anos, além de gastos com o reparo das vias. Sabemos que um único vagão de locomotiva consegue transportar a mesma quantidade de carga que cinco caminhões. Eu sonho com uma linha horizontal, na qual a mesma linha de trilhos seja usada por locomotivas de passageiros, de carga e mistas”, afirma o deputado.

Na oportunidade, o coordenador da Comissão Permanente de Transporte e Trânsito do Crea-MG, engenheiro civil Getúlio Alves da Silva e Souza, entregou ao deputado duas propostas elaboradas pelos conselheiros. A primeira proposta trata do aproveitamento das linhas viárias no trecho, que passa por Monte Azul, Janaúba, Montes Claros, Corinto/Pirapora, Sete Lagoas e Belo Horizonte. Já a segunda está focada na a criação de linha para o trecho Calafate/Barreiro/Águas Claras, ampliando a malha ferroviária para transporte de passageiros.

Confira as fotos

Os alunos do 7º período do curso de Engenharia Mecânica da Universidade de Itaúna (UIT) Leonardo Lessa Oliveira e Thiago Monteiro dos Reis apresentaram trabalho acadêmico no Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia (Contecc). O evento ocorreu no dia 19 de agosto de 2019, em Palmas-TO, durante a 76ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea).

O projeto intitulado "Análise comportamental do desgaste em canais de laminação em função da geometria" foi realizado por meio de coleta de amostras durante o processo produtivo em uma pequena empresa do setor siderúrgico, situada no estado de Minas Gerais. Além de Leonardo e Thiago, o trabalho também foi produzido por Mateus Vitor de Souza e Guilherme Henrique Amaral Almeida, também estudantes do 7º período do curso de Engenharia Mecânica da UIT.

Leonardo avaliou a importância da realização de sua pesquisa para estudantes e profissionais do Sistema. "O nosso trabalho contribui para a engenharia com a possibilidade de caracterização de um modo de falha que é pouco falado no setor de laminados, evidenciando onde ocorre maior nível de perda e onde também conquista uma estabilidade do processo produtivo", apontou. 

Para Thiago a participação do Congresso foi uma oportunidade para que outros profissionais conhecessem o estudo. "A nossa pesquisa permitiu que nós da área da engenharia entendêssemos melhor o canal na linha produtiva e quanto tempo ele estaria em boas condições pra trabalhar. Apresentar o projeto no Congresso possibilitou que mais profissionais tivesse acesso ao que nós concluímos e assim pode-se melhorar a atuação profissional", pontuou.

Contecc

O Contecc foi realizado com o objetivo de discutir o cenário de suas realidades locais e nacional, demonstrando exemplos de inovações em empresas, institutos de pesquisas, além de apontar caminhos para que inovações se desenvolvam com técnicas e aplicação de pesquisas que tenham como objetivo promover o desenvolvimento nacional. O evento reuniu profissionais, estudantes e professores das áreas da Engenharia, Agronomia e Geociências para apresentação e conhecimento de demais trabalhos.