Pesquisar no site...

As profissionais do Sistema Confea/Crea terão um Instituto Feminino de Engenharia (IFE). Ele será lançado, no dia 30 de março de 2019, na sede do Crea-MG. O projeto conta com o apoio do presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Borges, que se  reuniu com a presidente do IFE, engenheira civil Alaize Reis; a vice-presidente, engenheira civil Marinésia Costa Makatsuru; e a diretora de extensão e conhecimento, a engenheira civil Camila Soares. 

A programação do evento terá além do “Café com Engenheiras”, apresentação do IFE e palestra sobre mercado financeiro para a engenharia e suas perspectivas em 2019. “Será uma excelente oportunidade para conhecer o projeto inovador do IFE, iniciar networking e prospecção de parcerias para futuros negócios. A participação das engenheiras é fundamental para o Sistema", ressaltou Alaíze. 

Com a parceria do Crea-MG, o IFE vem para fortalecer a engenharia e aumentar a participação feminina no Sistema, de acordo com a vice-presidente Marinésia. “Estamos influenciando profissionais em todo estado. Hoje, o IFE conta com mais de 700 filiadas. Queremos ampliar ainda mais a quantidade das profissionais para o fortalecimento da ética e responsabilidade da classe”, afirmou Marinésia. 

IFE

O IFE é a primeira instituição de engenharia no país com diretoria formada apenas por mulheres, nas diversas modalidades. Segundo a presidente do IFE, o Instituto terá abrangência nacional. “A sede está situada em Belo Horizonte, mas pretendemos abrir núcleos e filiais em todos os estados. Para isso contamos com o apoio de todos os profissionais da área no país.” enfatizou Alaíze. 

Cafe com engenheiras

 

Mais informações: www.ife.eng.br

O APP será uma ferramenta de contato menos burocrática entre o Conselho, os profissionais e a sociedade

Com o intuito de estimular a participação da sociedade na denúncia de obras e serviços irregulares, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) lançou o aplicativo Crea-MG Mobile. O módulo “Você Fiscal” permite que os usuários façam consultas e denúncias de irregularidades de forma rápida e simples. O aplicativo está disponível nas plataformas digitais desde fevereiro de 2019 e pode ser baixado de forma gratuita através da AppStore, para dispositivos IOS, e pela Play Store, para dispositivos Android.  

Por meio de uma interface simples e intuitiva, o aplicativo possibilita a qualquer cidadão enviar denúncias, que podem ser feitas tanto de forma identificada quanto anônima. É possível encaminhar o endereço, fotos e outros dados de obras e serviços, alertando sobre possíveis irregularidades no exercício da engenharia, agronomia e geociências. As denúncias são recebidas pelo setor de fiscalização que dá o encaminhamento necessário. Quando feitas de forma identificada, o denunciante poderá acompanhar todos os trâmites, o que não é possível no caso de denuncia anônima. O Crea-MG Mobile permite também a consulta da regularidade de profissionais e empresas, além da conferência da autenticidade da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e certidões.

O diretor de Planejamento, Gestão e Tecnologia do Crea-MG, engenheiro mecânico Francis Saldanha, explica que o projeto foi desenvolvido a partir de uma demanda dos profissionais, que solicitavam um meio direto e menos burocrático de comunicação. “Esse será mais um instrumento de contato entre o Conselho, os profissionais e a sociedade. O aplicativo reforça a ação de fiscalização do Crea de maneira simples e prática, auxiliando no combate ao exercício ilegal da profissão”, afirma.  

Para o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, o suporte online vai otimizar ainda mais a atuação do Conselho. Segundo ele, com essa ferramenta, a sociedade, incluindo o profissional, passa a ter autonomia para informar ao Crea sobre obras e serviços sendo executados por pessoas não habilitadas, ou mesmo a ausência da Anotação da Responsabilidade Técnica (ART), por exemplo. “A partir dessas denúncias, será possível identificar mais facilmente as irregularidades e, assim, promover uma fiscalização efetiva e imediata, assegurando à sociedade a prestação de serviços por profissionais habilitados”, detalha Lucio.

images/Fenapc_e_Ascomig.jpeg

A fim de buscar orientação técnica para adequação dos pequenos construtores de Minas Gerais à legislação, a Associação de Construtores de Minas Gerais (Ascomig) e a Federação Nacional dos Pequenos Construtores (Fenapc) se reuniram com o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, no dia 25 de março de 2019.

De acordo com o presidente da Fenapc, Fabiano Zica, é imprescindível que os pequenos construtores estejam bem informados para que mantenham suas obras regularizadas. “Com o apoio do Crea, queremos produzir uma cartilha e realizar um curso de capacitação, em várias cidades do estado, para promover a devida orientação dos processos comuns à legalização dos empreendimentos”, afirmou.

A preocupação da Fenapc e da Ascomig em relação à regularização das atividades dos empreendedores se deve ao fato de que muitos empresários de outros ramos que atuam no setor de construção civil não conhecem a legislação e o papel do Crea. “Muitos não sabem da necessidade de se ter um responsável técnico legalmente habilitado em suas obras e de registrar a empresa no Conselho, nem como conseguir na prefeitura o alvará de construção e a Certidão de Baixa de Construção (antigo Habite-se), entre outros”, explicou o presidente da Ascomig Roberto Barbosa.

Inicialmente, os cursos de capacitação oferecidos pela Ascomig e pela Fenapc serão nas cidades de Uberlândia, Governador Valadares e Divinópolis visando, além de esclarecer as dúvidas dos construtores, incentivá-los a denunciar ao Crea-MG obras sem um responsável técnico.

Segundo o gerente de fiscalização do Crea-MG, Nicolau Neder, “a fiscalização do Conselho promove ações para verificar o exercício da engenharia, objetivando coibir a prática de atividades técnicas por leigos e proporcionando à sociedade segurança na aquisição de produtos e serviços”, ressaltou 

Representantes da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ) se reuniram com a presidência do Crea-MG e da Mútua-MG no dia 21 de março de 2019, na sede do Regional. Os professores e coordenadores da UFSJ apresentaram o curso de pós-graduação lato-sensu em Engenharia de Segurança do Trabalho, que passou a ser oferecido na instituição desde o ano passado, e convidaram o Conselho para participar de um workshop a ser realizado na universidade.

O curso, que funciona na modalidade de ensino à distância, é direcionado a engenheiros de todas as modalidades, e oferece aos estudantes um quadro atual e integrado de conhecimentos. “A especialização é muito importante para os nossos profissionais, pois amplia não só o conhecimento, como a capacidade de atuação no mercado de trabalho”, ressaltou o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges.

Segundo o coordenador do curso de engenharia mecânica, professor Jorge Nei Brito, a criação do curso vem de uma demanda de profissionais. “Percebemos que há um déficit em cursos de pós-graduação na área de engenharia de segurança do trabalho. Por isso estamos atendendo as demandas de profissionais, empresas e órgãos públicos no cumprimento de exigências e legislações que regulamentam essa área”, destacou o professor.

Com a primeira turma matriculada, o curso conta com 210 estudantes e integra o programa Universidade Aberta do Brasil (UAB) coordenado pela Capes. Além da estrutura da própria faculdade, os alunos podem contar com a infraestrutura nos polos selecionados. “Queremos incluir as inspetorias do Crea nos polos de ensino, para que os estudantes possam usar os computadores e se integrar à universidade”, afirma Jorge.

Confira as fotos

Serviço

Os critérios de seleção para matrícula tem base na análise do currículo e de experiências do profissional.

Mais informações:

Núcleo de Educação à Distância da UFSJ

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: (32) 3379.5834

A inspetora-chefe do Crea-MG em Belo Horizonte, engenheira civil Júnia Neves, representou o presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Borges, na cerimônia de posse da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), no dia 19 de março de 2019. A eleição ocorreu durante o X Congresso Nacional dos Engenheiros (Conse), em setembro de 2018, sendo o engenheiro eletricista Murilo Pinheiro reconduzido à presidência. “Acredito que esta diretoria poderá contribuir muito para o fortalecimento da engenharia e valorização profissional. E para isso é fundamental que todos nós estejamos unidos para superar este momento que estamos passando no país”, destacou.

A chapa eleita se comprometeu com o acompanhamento dos projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional, com atuação permanente em defesa dos interesses da categoria, da soberania nacional e da regulamentação profissional; defesa do salário mínimo profissional; continuidade e fortalecimento do movimento “Engenharia Unida”; incentivo à criação de possibilidades para que estudantes tenham condições especiais como pré-associados, aproximando os novos engenheiros das atividades sindicais; adoção de iniciativas que atendam a necessidades abrangentes da categoria, sob a forma de benefícios, assistência e serviços; e discussão de propostas para as diversas áreas que envolvam a engenharia e tecnologia.

Além de profissionais de todo o Brasil, prestigiaram a cerimônia de posse o coordenador do Colégio de Presidentes dos Creas e presidente do Crea-PB, Antônio Carlos Aragão; o presidente da Mútua, Paulo Guimarães; o vice-presidente do Confea, Edson Alves Delgado; a presidente do Sindicato dos Engenheiros do Pará (Senge-PA), Eugênia Von Paumgartten e também senadores e deputados federais.

 

Com informações da FNE