Pesquisar...

O Crea-Minas realizará ação de fiscalização no agronegócio entres os dias 21 e 25 de maio de 2018, nos municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Carmo de Minas, Carvalhos, Caxambu, Conceição do Rio Verde, Cruzília, Dom Viçoso, Itamonte, Itanhandu, Jesuânia, Lambari, Minduri, Olímpio Noronha, Passa Quatro, Pouso Alto, São Lourenço, São Tomé das Letras, São Sebastião do Rio Verde, Seritinga, Serranos, Soledade de Minas e Virgínia.

O fiscal especializado do Agronegócio do Crea-Minas, técnico agrícola Carlos Roberto Alves, explica que a fiscalização do Conselho vai verificar a existência de profissionais legalmente habilitados, com conhecimento e atribuições específicas, na orientação técnica dos empreendimentos. O objetivo da fiscalização, segundo Carlos Roberto, não é punir e, sim, orientar, por isso a realização das reuniões preparatórias com o intuito de informar o produtor e deixá-lo preparado para a fiscalização. “O nosso interesse é que os fiscalizados entendam a importância da presença de um profissional habilitado na orientação do empreendimento, pois além de garantir as boas práticas no processo de produção, vários problemas podem ser evitados com esse acompanhamento, garantindo a segurança alimentar para a sociedade”, comenta o técnico. 

Orientação 

Em 19 de abril, o Crea-Minas reuniu, em São Lourenço, empreendedores do setor de laticínios e demais produtores rurais do Sul de Minas para orientá-los previamente sobre os critérios de fiscalização no agronegócio do órgão. Eles foram orientados sobre a regularização das atividades técnicas exercidas pelos profissionais que atuam no setor e sobre a exigência da Anotação de Responsabilidade Técnica (A.R.T). O supervisor de Fiscalização do Agronegócio do Crea-Minas, engenheiro agrônomo Emílio Mouchrek, explica que a A.R.T é um instrumento de segurança tanto para o profissional quanto para a sociedade. O supervisor detalha que a verdadeira missão do Crea é proteger o cidadão que contrata o trabalho dos profissionais ao garantir que estes estejam habilitados para desempenhar tal função e assumindo a responsabilidade técnica pelos serviços ou produtos processados. "Ao exigir a A.R.T., protegemos a sociedade impedindo a atuação de leigos na condução do processo de produção e, ainda, ampliamos o mercado de trabalho para o profissional, garantido um melhor atendimento e uma relação custo-benefício favorável ao empreendedor”, afirma Mouchrek.

Especialização da Fiscalização no Agronegócio

A realização das reuniões preparatórias deriva do projeto de Especialização da Fiscalização no Agronegócio do Crea-Minas, que segmentou, em 2015, a fiscalização no agronegócio com estruturas, análises e acompanhamentos especiais.  “O projeto conquistou resultados que são desejados por todos os Creas do Brasil. Por isso, estamos hoje sendo procurados para ajudar a implantar este projeto em outros estados”, conclui Emílio Mouchrek. Ele explicou que os bons resultados da fiscalização derivam da estratégia de utilizar abordagens humanas e da capacitação técnica do fiscal.