Com o objetivo de estreitar o relacionamento institucional com a Faculdade Vértice – Univértix, a conselheira, engenheira civil Davina Braga realizou uma visita às instalações da instituição de ensino, no dia 04 de maio de 2018.  

A faculdade, localizada em Matipó, município situado na Zona da Mata mineira, possui 12 cursos de graduação, entre eles os de agronomia e de engenharia civil.Durante a visita, a conselheira do Crea-Minas conheceu a biblioteca, as salas de aula e os laboratórios da faculdade. Segundo o coordenador de engenharia civil, Ailton Magalhães, o curso tem 12 laboratórios, entre os quais o de construção civil, onde os estudantes constroem armações de aço para estruturas de concreto.  

De acordo com o diretor-geral da faculdade, Lucio Sleutjes, a presença do Conselho amplia o debate sobre a atuação dos profissionais, especialmente dos recém-formados. “Nossos alunos são preparados para se tornarem profissionais especializados em construir casas, prédios, pontes, barragens, estradas e projetar e executar empreendimentos voltados para o saneamento básico. E queremos contar com o suporte do Crea-Minas para continuar sendo uma instituição bem conceituada”, enfatizou.

O Crea-Minas participou da ação parlamentar, em Brasília, que visa acabar com a reserva de mercado criada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR). Na ocasião, o presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger, junto de representantes dos Creas, conselheiros federais e assessores parlamentares, apresentou apoio ao deputado Ricardo Izar (PP-SP) na defesa do Projeto de Lei PL 9818/18 e do Projeto de Decreto Legislativo PDL 901/18. Ambas propostas visam questionar a Lei nº 12.378/10, que fomenta a reserva de mercado dos Arquitetos e Urbanistas e limita o livre exercício ao trabalho de outras profissões, ferindo art. 5º, XIII da Constituição Federal.
 
Na reunião do dia 19 de maio de 2018, discutiram sobre a importância dos projetos para o Sistema Confea/Crea, bem como sobre o apoio plenário que o sistema pode proporcionar. “A legislação atual prejudica a atuação não apenas de engenheiros, mas de vários outros profissionais, o que torna primordial nossa articulação. Devemos mobilizar os deputados federais e incentivar o apoio parlamentar aos projetos para que eles sejam votados logo”, destacou assessor parlamentar do Crea-Minas, engenheiro civil Paulo Salomão após a reunião.
 
O deputado Ronaldo Nogueira, presidente da Comissão do Trabalho, também participou das atividades e conversou sobre a audiência pública para dar continuidade à PL 9818. Na oportunidade, falou sobre o agendamento da audiência e sobre a aprovação da proposta na Comissão.
 
Além de Joel, a comitiva do Sistema Confea/Crea reuniu os conselheiros federais  José Chacon de Assis, Ronald Monte, Marcos Camoeiras, Alessandro Machado, Osmar Barros Júnior, Luciano Soares, André Schüring, Daniel Salati e Edson Delgado, vice-presidente do Confea, vários deles falando também em nome das associações que representam, e ainda a presidente do Crea-DF, Fátima Có, o presidente do Crea-BA, Luís Edmundo Prado de Campos, o presidente do Crea-GO, Francisco Almeida; e os representantes do Crea-SC, Luiz Carlos Coelho, e do Crea-MG Paulo Salomão, também presidente do IEB, além da vice-presidente da Abenc e presidente da Abenc-PI, Socorro Seabra, do presidente do Sindicato dos Tecnólogos do Estado de São Paulo, José Paulo Garcia, do assessor da presidência do Confea e vice-presidente da Abenc-SP, Luiz Roberto Sega, e do assessor da ABD, Walter Bittar.
 
A Câmara dos Deputados está realizando uma enquete sobre o PL 9.818/2018 e o PDC 901/2018. Para acompanhar a tramitação e votar CONCORDO, acesse os links abaixo:

PL 9.818/2018
Acompanhe a tramitação
Vote CONCORDO

PDC 901/2018
Acompanhe a tramitação
Vote CONCORDO

 

Confira as fotos da reunião.

Ouça na Rádio Crea-Minas ou leia na íntegra

Conhecimento técnico para o bem comum. É com esta disposição que 326 profissionais vinculado aos Crea-Minas, 66 deles filiados à Associação de Engenheiros Arquitetos e Agrônomos do Vale do São Francisco, participam de mobilização solidária para projetar e reformar, em regime de cooperação, as instalações internas das unidades prisionais da região. O presidente da Assenasf e inspetor-chefe do Crea-Minas em Januária, engenheiro de segurança do trabalho José Vanderval Melo Júnior, lembra que a iniciativa partiu da associação, que procurou representantes do Tribunal de Justiça e Ministério Público afim de apoiar um projeto para a  construção de uma fábrica de bloquetes na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado de Januária, dentro do projeto “Construindo Novos Caminhos."

José Vanderval Melo Júnior - Surgiu a ideia de procurarmos o promotor e o juiz. E como sabia do projeto de implantação da fábrica de bloquetes, solicitei que nós profissionais da Engenharia pudéssemos participar. Desde o projeto de elaboração do projeto até o acompanhamento das obras, do calçamento de ruas, praças e ciclovias. Um trabalho que será realizado pelos recuperandos. Tudo isso de forma totalmente voluntária, a custo zero para o Estado. 

A princípio, a consultoria voluntária atenderia apenas a Apac, unidade prisional onde as regras de convivência são diferenciadas, como ausência de policiais e o controle da disciplina por internos. Mas o juiz viu na parceria com os engenheiros oportunidade de ampliar a assistência especializada. Pediu então apoio em projetos para os presídios de Januária e Itacarambi.

José Vanderval Melo Júnior - Foi então que coloquei à disposição do Judiciário e Ministério Público todos os serviços de Engenharia que eles precisassem para a Apac e demais presídios da região. Desde o desenvolvimento de projetos a  acompanhamento de obras, reformas, ampliação de celas. E também a implantação de sistemas de segurança contra incêndio e pânico, inclusive com a formação de brigadistas junto aos recuperandos.Constatei, como engenheiro de segurança do trabalho, que as instalações estavam bastante precárias nas três edificações. 

Pelo convênio,  cinco municípios da comarca de Januária serão responsáveis pelo fornecimento de maquinário, matéria-prima e a própria aquisição dos bloquetes. A produção será supervisionada por engenheiros vinculados à inspetoria do Crea-Minas no município.

José Vanderval Melo Júnior - Por outro lado, para eles é muito interessante. A cada três dias trabalhados, há a redução de um dia na pena deles. Assim, contribuímos para a ressocialização deles, que terão a oportunidade de sair dali com uma qualificação na área da construção civil. Isso é muito importante. 

Os apenados do regime fechado vão trabalhar na fabricação e os do semiaberto na colocação dos blocos na rua.

O Crea-Minas realizou, entre os dias 23 a 27 de abril de 2018, ações de fiscalização de diversas modalidades da engenharia na Inspetoria de Diamantina e cidades vizinhas. Os fiscais da Região Norte, com o apoio das Regiões Leste e Metropolitana, fiscalizaram simultaneamente empreendimentos públicos e privados de 15 municípios, além de órgãos públicos e postos de combustíveis. De acordo com o supervisor da região Norte, Alex Fabiano, o objetivo da ação foi a regularização dos serviços prestados. "Verificamos se os profissionais e empresas estão registrados no Sistema Confea/Crea e se as A.R.T.s estão devidamente registradas. Nosso foco é a garantia de segurança à sociedade", ressaltou Alex.

As vistorias geraram 112 relatórios de obras e serviços e 173 de empreendimentos, além de 240 contratos, segundo a fiscal da Região Norte, engenheira civil e de segurança do trabalho Ivana Machado. “Visitamos empresas de construção civil, mineração, instalação e manutenção elétrica, consultoria ambiental, bioenergia, energia solar fotovoltaica, instalação e manutenção mecânica, engenharia de segurança do trabalho, saneamento. Ao todo, contabilizamos 551 ações de fiscalização”, destacou.

Em cinco dias, os fiscais percorreram as cidades de Diamantina Capelinha, Carbonita, Couto de Magalhães de Minas, Datas, Felício dos Santos, Gouveia, Itamarandiba, Presidente Kubitschek, Rio Vermelho, Alvorada de Minas, São Gonçalo do Rio Preto, Serro, Turmalina e Veredinha.

Um Convênio de Mútua Cooperação foi firmado entre o Crea-Minas e a prefeitura de Esmeraldas, no dia 03 de maio de 2018, na sede do Conselho. Com isso, haverá um compartilhamento de dados visando aumentar a eficiência da fiscalização e, dessa forma, coibir o exercício ilegal das profissões ligadas ao Sistema Confea/Crea. 

O convênio firmado estabelece que o Crea-Minas irá prestar as informações necessárias sobre obras e serviços técnicos de engenharia do município e passará a contar com a prefeitura na exigência de Anotação de Responsabilidade Técnica (A.R.T.) dos projetos de engenharia executados na cidade. “Essa aproximação do Crea com a região é de grande importância para fortalecer a fiscalização e  auxiliar o município e os profissionais”, afirma o engenheiro civil e de segurança do trabalho Gil Diniz Neto, inspetor-secretário de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, onde está situada a cidade de Esmeraldas.

Na reunião, o presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Borges; os superintendentes de Atendimento e Fiscalização, engenheiro agrônomo Humberto Falcão; de Relações Institucionais, engenheiro civil e de segurança do trabalho Marcos Gervásio; e a gerente de Apoio aos Colégios, Maria Cristina da Silva, conversaram também com o secretário de Obras, Transporte e Trânsito, engenheiro civil Bernardo Costa.