Pesquisar no site...

Com o objetivo de apresentar o projeto Engenharia na Gestão Pública, estiveram em Caldas os conselheiros da Câmara Especializada de Engenharia Civil do Crea-Minas (CEEC) Davina Braga e Bernardo Abrãao, que coordena o projeto e é presidente da AEAEE-UFMG, no dia 12 de abril de 2018.

Segundo o engenheiro civil Bernardo Abraão, a ideia é promover o entendimento da sociedade da abrangência e eficácia dos serviços de engenharia no desenvolvimento econômico e social. “É preciso que as pessoas percebam a importância da contribuição de profissionais da engenharia na gestão de serviços públicos e sua necessária participação no desenvolvimento da infraestrutura urbana e rural”, enfatizou Bernardo.

A palestra apresenta o conteúdo que será dado em um treinamento de dois dias para os municípios interessados, que tem como objetivo capacitar profissionais da engenharia e gestores públicos para atuarem no diagnóstico e na elaboração de projetos de desenvolvimento da infraestrutura urbana e rural em atendimento às demandas públicas municipais. 

A capacitação consiste no levantamento das demandas locais, visitas técnicas em pontos críticos das cidades e elaboração de diagnóstico técnico com apontamento de soluções para cada problema identificado. “Vamos fornecer informações necessárias para que a própria comunidade, juntamente com os profissionais técnicos locais, promova ações favoráveis para o desenvolvimento municipal”, explica o coordenador do projeto.

Participaram do encontro os prefeitos de Caldas, Alexsandro Conceição Queiroz; de Andradas, Rodrigo Aparecido Lopes e; de Poços de Caldas, Sérgio Antônio Carvalho de Azevedo, além de engenheiros das prefeituras daqueles municípios e de Santa Rita de Caldas, Pouso Alegre, Campestre, Ipuiuna, Ibitiúra de Minas, que fazem parte da Associação dos Municípios do Alto Rio Pardo (Amarp). Na oportunidade, solicitaram agendamento as prefeituras de Caldas e de Andradas.

Avaliar as condições das máquinas, fazer inspeções nos locais de trabalho, observar instalações e verificar o uso de equipamentos de proteção são tarefas imprescindíveis realizadas pelos engenheiros de segurança do trabalho para diminuir o número de acidentes e de afastamento de funcionários de uma empresa. “A prevenção de acidentes deve levar em conta a avaliação de todos os riscos e visar à segurança dos trabalhadores. Quando as empresas não investem em profissionais especializados e nem priorizam um trabalho preventivo, ocorrem os sinistros, sendo a maioria por imprudência”, destacou o coordenador da Câmara de Engenharia de Segurança do Trabalho do Crea-Minas, engenheiro José Raimundo Barnabé.

De acordo com a Previdência Social, 578.935 pessoas sofreram acidentes de trabalho em 2016. Os dados são do último Anuário Estatístico de Acidentes de Trabalho. Minas Gerais ocupa a segunda posição no ranking nacional com 58.848 casos, atrás apenas de São Paulo com 198.354 casos.

O elevado número de acidentes de trabalho coloca o Brasil em quarto lugar no mundo na categoria, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), ficando atrás apenas da China, Índia e Indonésia.

O diretor técnico da Associação Mineira de Engenharia de Segurança (Ames), engenheiro eletricista e de segurança do trabalho Gustavo Antônio da Silva explica as alternativas que podem ser tomadas para reduzir as ocorrências. “É necessário investir em profissionais especializados para treinar os trabalhadores, cumprir as normas regulamentadoras e conscientizar os empregadores da importância do trabalho preventivo. Temos que criar uma cultura de segurança no país”, ressaltou.

O Crea-Minas promoveu na semana passada, entre os dias 09 e 13 de abril de 2018, ações de fiscalização nos empreendimentos e obras em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. A ação mobilizou fiscais das inspetorias de Barbacena, Cataguases, Juiz de Fora, Ponte Nova, São João Del-Rei, Ubá e Viçosa, cidades que fazem parte da Região Sudeste do Crea-Minas.

A fiscalização ocorreu em 86 obras e 68 empreendimentos da cidade, que foram selecionados com base nos serviços de engenharia prestados e em obras de grande impacto na cidade. Segundo o supervisor do Crea-Minas da Região Sudeste, engenheiro civil e de segurança do trabalho Antônio Andrade, foram fiscalizados os contratos em serviços de engenharia/agronomia, a regularidade junto ao Conselho, os registros do quadro técnico, bem como o registro de empresas/profissionais contratados para os serviços de engenharia/agronomia. A vistoria gerou 30 relatórios de ocorrências.

A fiscalização do Crea-Minas é focada no exercício profissional da engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia, conforme prevê a Lei Federal 5.194/1966. Nesta ação, foi esclarecido aos empreendedores a função do Conselho, que é defender a sociedade da prática ilegal das atividades técnicas, garantindo que existam profissionais legalmente habilitados, com conhecimento e atribuições específicas, na condução dos empreendimentos da área tecnológica. “O Crea-Minas  cumpre o seu dever legal de zelar pelo interesse público quando verifica a existência de um responsável técnico habilitado para os citados serviços. Esta ação garante atendimento especializado, o que contribui para a melhoria do serviço e otimização do empreendimento”, afirma Antônio Andrade. 

Após três anos de estudo, 37 alunos do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), campus Leopoldina, na Zona da Mata mineira, formaram-se em três cursos da área tecnológica, sendo cinco estudantes no curso técnico em eletromecânica, seis em eletrotécnica e 26 em mecânica. Eles receberam a Carteira de Autorização para Registro Profissional durante a formatura, ocorrida no dia 06 de abril de 2018.

A Carteira foi instituída pelo Crea-Minas como mais um mecanismo de controle para coibir o registro de diplomas falsos. O inspetor-chefe de Cataguases, engenheiro mecânico Magno Ernany representou o Crea-Minas na entrega das carteiras. “A Carteira de Autorização para Registro Profissional é muito importante para o recém-formado, pois certifica que o curso é registrado no Crea. Com ela em mãos, ele está apto a fazer o registro profissional no Conselho”, destacou.

Para discutir a possibilidade de formar uma parceria para a fiscalização de obras financiadas pela Caixa e para oferecer estágios para estudantes da engenharia, além de outros convênios, representantes da Caixa Econômica Federal estiveram no Crea-Minas. No dia 13 de abril de 2018, o presidente do Crea-Minas, engenheiro civil Lucio Borges, reuniu-se com o superintendente Regional da Caixa Marcelo Bomfim e os gerentes Paulo Henrique Barbosa Pontello e Roberto Adelino Gomes da Costa. “Este tipo de reunião é muito importante para que possamos estreitar laços e conversar com clareza sobre firmar convênios e parcerias”, afirmou Lucio Borges.

Também participaram da reunião o chefe de gabinete do Crea-Minas, técnico em metalurgia Raimundo Fernandes, o gerente Administrativo e Financeiro, engenheiro civil Wanyr Notini e o superintendente de Planejamento e Gestão, engenheiro metalurgista Elder Gomes.